Uma vitória com a marca da força dos bancários

Categoria aprova acordos nacionais em bancos públicos e privados por ampla maioria, em todo o Brasil, dá lição de maturidade e arranca garantia de direitos para seguir na luta por avanços

Este ano a Campanha Nacional Unificada dos Bancários 2020 prenunciava inúmeras dificuldades. A Covid-19, a doença do novo coronavírus, ameaçava nossos direitos por impedir aglomerações e as mobilizações de rua tão fundamentais nas nossas lutas vitoriosas. E os banqueiros, como sempre, ameaçavam nas sucessivas rodadas de negociação com o que lhes era mais favorável: o tempo.

Não por acaso chegamos na madrugada desta terça-feira, 1º/9, com todos nossos direitos protegidos. Nesta data histórica para nós, bancárias e bancários brasileiros, nossas assembleias virtuais lotadas mostraram que continuamos fortes, unidos, se trabalhamos unidos, motivados e mobilizados. Lutamos contra tudo e contra todos e sem que a distância nos limitasse.

Lutamos contra a ausência do dispositivo da ultratividade nesta Campanha Salarial. Se não fechássemos acordos até o dia 31/8, o risco era perdermos tudo por que lutamos por muito tempo. Poderíamos ficar sem nada neste dia histórico. Ficar sem a CCT nacional e sem os acordos coletivos específicos (complementares a CCT) nos bancos públicos – BB, Caixa e Banrisul.

Mas, mesmo com todas as dificuldades, os bancários foram às assembleias virtuais, durante 28 horas, desde a noite do domingo, para dar uma lição de maturidade. Pois, no início da madrugada desta terça-feira, 1º/9, a força da categoria brilhou.

Por ampla maioria, em todo o país bancárias e bancários aprovaram a Convenção Coletiva de Trabalho Nacional (CCT) que garante direitos para os bancários de norte a sul do Brasil. Foi uma onda de democracia em todo o Brasil. Só na base do SindBancários, 3.937 votos foram computados.

Nos bancos públicos, os Acordos Coletivos Específicos de Trabalho também foram aprovados. Eles são complementares às cláusulas que construímos nas mesas virtuais de negociação com a Fenaban.

Colegas do Banrisul, da Caixa e do Banco do Brasil também compreenderam a marcha. Garantir agora e seguir fortalecendo. O tempo é de regar a planta para vê-la forte e saudável num futuro que está logo ali à frente.

A vida não foi fácil para o Comando Nacional dos Bancários nem para os representantes dos colegas de bancos públicos nas mesas virtuais específicas. Os banqueiros da Fenaban queriam impor uma derrota histórica. Mas nós conseguimos equilibrar o jogo.

Redução de lucro não é ausência de lucro

As videconferências com banqueiros do BB, da Caixa e do Banrisul também foram duras batalhas de argumentos, assim como com a Fenaban. Além de congelamentos de verbas e auxílios, representantes das diretorias queriam compensar nas nossas costas a redução de lucro que os bancos tiveram na pandemia.

Mas redução de lucro não é ausência de lucro, até porque os cinco maiores bancos lucraram cerca de R$ 30 bilhões no primeiro semestre do ano.

Trend topics e carreatas

Com muita participação nas redes, fizemos pressão nas videoconferências de negociação. Chegamos aos trend topics do twitter. E quando os banqueiros falaram em congelamento de salário por aumento zero, redução de 48% na PLR, chamamos uma carreata histórica pelas ruas de Porto Alegre e nos somamos a este ato com bancários de todos os cantos do Brasil.

Assista em vídeo de como foi a nossa caminhada por direitos na Campanha Nacional 2020

Mas a nossa luta não termina com a aprovação dos nossos acordos e com a chegada aos nossos objetivos de garantir e proteger nossos direitos. Como sempre, a nossa luta segue. Recomeça a cada dia.

Vamos manter negociações permanentes com os bancos para tratar de teletrabalho, banco de horas, saúde, segurança e seguir nossa ação sindical para combater a exploração e fiscalizar a aplicação dos acordos.

Também temos o dever de dialogar com a sociedade sobre a necessidade de, nas próximas eleições, depositarmos nas urnas votos em candidatos que não defendam ataques aos direitos dos trabalhadores, pois a maioria das dificuldades que enfrentamos hoje foram impostas pelos políticos que hoje estão no poder.

O fim da ultratividade, a ameaça à nossa jornada de trabalho, a retirada do vale cultura, são alguns dos exemplos de ataques que foram autorizados nas urnas.

Temos muito a caminhar. Daremos um passo de cada vez e sempre. Vamos precisar de todo mundo!

Resultado Campanha Salarial Virtual 2020 PoA

ACT Banrisul

1.571 votos

SIM: 1.479 (94,14%)

NÃO: 86 (5,47%)

Abstenção: 6 (0,38%)

——————–

ACT Caixa

982 votos

SIM: 749 (76,27%)

NÃO: 224 (22,81%)

Abstenção: 9(0,92%)

——————–

ACT BB

647 votos

SIM: 583 (90,11%)

NÃO: 62 (9,58%)

Abstenção: 2 (0,31%)

——————–

CCT Nacional (Votação geral)

3937 votos

SIM: 3.471 (88,16%)

NÃO: 446 (11,33%)

Abstenção: 20 (0,51%)

 

Aprovação da CCT garante os seguintes direitos a todos os bancários do país

Reajuste

Proposta inicial: Reajuste ZERO

Proposta final: Reajuste de 1,5% e abono de R$ 2.000,00 em 2020.

Reposição integral da inflação (INPC/IBGE), mais 0,5% de aumento real em 2021 para os salários e todas as verbas.

PLR

Proposta inicial: redução de 48% na PLR dos bancários.

PLR 2020 – PLR regra básica – 90% do salário mais R$ 2.524,62 limitado a R$ 13.543,37. Se o total ficar abaixo de 5% do lucro líquido, salta para 2,2 salários, com teto de R$ 29.795,39.

PLR parcela adicional – 2,2% do lucro líquido dividido linearmente para todos, limitado a R$ 5.049,25.

Antecipação da PLR – Primeira parcela depositada até dez dias após assinatura da Convenção Coletiva. Regra básica – 54% do salário reajustado em setembro de 2020, mais fixo de R$ 1.514,78, limitado a R$ 8.126,01 e ao teto de 12,8% do lucro líquido – o que ocorrer primeiro. Parcela adicional equivalente a 2,2% do lucro líquido do primeiro semestre de 2020, limitado a R$ 2.524,62.

PLR 2021 – Para PLR e antecipação da PLR- mesmas regras, com reajustes dos valores fixos e limites pelo INPC/IBGE de setembro/2020 a agosto/2021, acrescido de aumento real de 0,5%, com data de pagamento de pagamento final até 01/03/2022.

Pisos 2020

Piso portaria após 90 dias – R$ 1.699,49.

Piso escritório após 90 dias – R$ 2.437,79.

Piso caixa/tesouraria após 90 dias – R$ 3.293,13 (salário acrescido de gratificação, mais outras verbas de caixa).

Vales e Auxílios 2020

Auxílio-refeição – R$ 37,71.

Auxílio-cesta alimentação e 13ª cesta – R$ 653,60

Auxílio-creche/babá (filhos até 71 meses) – R$ 502,00

Gratificação de compensador de cheques – R$ 189,22.

Requalificação profissional – R$ 1.685,39

Auxílio-funeral – R$ 1.130,87.

Indenização por morte ou incapacidade decorrente de assalto – R$ 166.599,06

Ajuda deslocamento noturno – R$ 116,62.

2021 – Os valores vigentes em 31/08/2021 serão reajustados pelo INPC/IBGE de setembro/2020 a agosto/2021, acrescido de aumento real de 0,5%.

Obs.: Nos itens corrigidos pelo INPC, considerou-se a mais recente estimativa do Banco Central do Brasil para a data-base, de 2,74%.

Confira a íntegra das minutas aprovadas nas assembleias

CCT

https://www.sindbancarios.org.br/wp-content/uploads/2020/08/Minuta-CCT.pdf

PLR

https://www.sindbancarios.org.br/wp-content/uploads/2020/08/Minuta-CCT-PLR.pdf

CCT Adtivio

 https://www.sindbancarios.org.br/wp-content/uploads/2020/08/Minuta-CCT-Aditiva.pdf

Banrisul

http://fetrafirs.org.br/noticias.php?id=12717

Caixa

https://www.sindbancarios.org.br/wp-content/uploads/2020/08/proposta-global-act-caixa-2020.pdf

Banco do Brasil

https://www.sindbancarios.org.br/wp-content/uploads/2020/08/proposta-global-act-caixa-2020.pdf

https://www.sindbancarios.org.br/wp-content/uploads/2020/08/ACT-BB-Contraf-2020-2022.pdf

Fonte: Imprensa SindBancários

 

 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER