Uma formatura, um livro e um tema para sempre serem lembrados e nunca mais esquecidos

Formatura da Oficina Literária do SindBancários

A solenidade de formatura dos alunos da Oficina de Criação Literária do SindBancários 2014, no auditório da Casa dos Bancários, na terça-feira, 20/1, refletiu a marca  da luta pela memória e direito de acesso a ela e o papel que o SindBancários desempenha nesse movimento cultural. Quando um Sindicato como o nosso consegue organizar 14 alunos em torno de um objetivo, a saber, contar a história do Golpe Militar de 1964, essa trajetória precisa ser consagrada. Ainda mais porque os 42 contos publicados no livro bilíngue (português/espanhol) “50 Anos do Golpe de 1964 – 50 Años del Golpe de 1964”, tiveram uma formatura que exaltou e referiu o sucesso de empreendimento e uma importante visão dos anos de chumbo: que lembremos sempre e nunca esqueçamos, para que nunca mais aconteça.

De reconhecimento em reconhecimento, um a um os formandos se dirigiram para os lugares mais à frente no auditório da Casa dos Bancários. Amigos, familiares, padrinhos, livros e contos. Eram cerca de 18h15 e a solenidade começaria. Depois, todos subiriam ao andar de cima, onde, no Salão de Festas começaria a solenidade de aniversário de 82 anos do Sindicato e o lançamento do novo site e do aplicativo para celular.

O professor e escritor Alcy Cheuíche liderava os seus alunos na curta caminhada até a parte da frente do auditório. Diferente da longa caminhada de 10 meses, entre o início das aulas da oficina em março, passando pelo lançamento do livro na Feira do Livro de Porto Alegre em novembro de 2014. “Este grupo enfrentou um dos mais difíceis temas das nossas sete oficinas. Porque o tema foi a Ditadura Militar, o Golpe, e não se pode escrever sobre este tema com ódio, com raiva. Quem faz isso, não é escritor. São essas pessoas que transformaram nossas vidas para pior: os torturadores”, discursou Alcy.

O professor citou o primeiro conto do livro como exemplo de leveza. Sob o título “O Bolo de Chocolate”, o conto da oficineira Almeri Espíndola narra o diálogo entre uma senhora da terceira idade e seu neto. Ela conta ao menino a história do médico e ícone da luta popular Ernesto Che Guevera, médico argentino que participou da Revolução Cubana em 1959, ao lado de Fidel Castro. Chega um momento que a história é tão insuportável que é melhor parar.

A oradora da turma, Naiara Machado da Silva, exaltou o clima de amizade ente o grupo e mencionou cada um dos 13 colegas. “Foi um ano muito intenso, de muito trabalho e aprendizado. Foi muito bom, inclusive, o nosso envolvimento com o Sindicato, com o tema e com os nossos personagens. O Sindicato, com a oficina, nos mostra a importância da união e nos deu um grande exemplo de democratização da cultura”, afirmou Naiara.

O presidente do SindBancários, Everton Gimenis, lembrou que o lançamento do livro e o seu sucesso podem ser medidos pelo sucesso na Feira do Livro. “Fizemos um excelente debate sobre a importância de lembrarmos sempre da Ditadura Militar para que nunca esqueçamos e para que nunca volte a acontecer na Feira do Livro. O livro foi um sucesso. Vendemos 300 exemplares somente na feira. Isso mostra também a qualidade literária da nossa categoria e dos trabalhadores de outras categorias que participam da oficina”, acrescentou Gimenis.

O presidente também lembrou o trabalho do seu antecessor, o ex-presidente da gestão 2011-2014, Mauro Salles. “O Mauro incentivou muito esta oficina literária. Desde 2005, ele teve a sensibilidade de compreender que estávamos abrindo mais uma frente de luta política no campo da cultura”, acrescentou Gimenis.

Durante a solenidade foi lido o conto da oficineira Eneida Ferrari, “Encontro minha imagem fora do espelho”, sorteado entre os 42 publicados no livro. A tradutora Andrea Barrios fez a leitura da versão em espanhol do mesmo conto “Encuentro mi imagen fuera del espejo”. Os oficineiros preparam lançamento do livro em Santiago do Chile, no mês de fevereiro.

Participaram da solenidade o presidente do Sindjors, Milton Simas, o deputado estadual Raul Carrion, irmão da oficineira Vera Carrion, e o presidente da Associação Riograndense de Imprensa (ARI), Batista Filho.

As inscrições estão abertas para a turma de 2015. Confira:

Como se inscrever para a Oficina em 2015

Tema: A História da Imprensa no Rio Grande do Sul e no Brasil.

Contato: Com Péricles, na Secretaria Geral do SindBancários (General Câmara, 424, Centro Histórico Porto Alegre) ou pelo fone (51) 3433-1202

Investimento: mensalidades de R$ 150 (bancários sindicalizados) e R$ 250 (público em geral).

Veja e baixe aqui fotos da solenidade de formatura

Crédito foto: André Ávila

Fonte: Imprensa SindBancários

Veja aqui fotos da solenidade de formatura

Crédito fotos: André Ávila

Fonte: Imprensa SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER