Uma conquista para os pais do Santander

Ampliação da licença-paternidade é pauta histórica do movimento sindical bancário, que já havia conquistado, na Campanha Nacional dos Bancários de 2016, a ampliação para 20 dias. Para fazer jus ao direito, bancários devem concluir o curso de paternidade responsável

A partir de janeiro de 2021, a licença-paternidade no Santander será de 28 dias. A medida vai ao encontro de uma pauta histórica do movimento sindical, a licença parental de seis meses tanto para o pai quando para a mãe. Na Campanha Nacional dos Bancários de 2016, a categoria conquistou a ampliação da licença-paternidade para 20 dias, nos termos da Lei 13.257, promulgada pela ex-presidenta Dilma Rousseff.

O diretor do SindBancários e funcionário do Santander, Luiz Cassemiro, lembra a importância de os bancários prestarem atenção no contexto das conquistas e estarem junto com o Sindicato nas lutas por garantias e avanços nos nossos direitos.

“Quando pensamos em governos democráticos e que respeitam o trabalhador e olhamos para o que aconteceu desde 2016, chegamos à conclusão de que o voto e a atenção na política são tão importantes como lutar por direitos. Com o Bolsonaro agora, os bancários sofreram ataques de Medidas Provisórias de forma sucessiva. A MP 905, por exemplo, acabava com nossa jornada de trabalho de seis horas. Se não fosse a pressão dos Sindicatos, o Congresso poderia aprovar e ninguém teria direito a horas extras nos bancos”, contextualizou Cassemiro.

A diretora do Sindicato de São Paulo, e também funcionária do Santander, Lucimara Malaquias, diz acreditar ser possível, com unidade e mobilização dos colegas até ampliar o tempo de licença. “Embora a licença parental de seis meses para ambos os pais ainda esteja distante, reconhecemos e valorizamos esta orientação global do grupo Santander, acatada pela operação brasileira”, salientou.

Para ela, trata-se de direito conquistado não apenas para os pais mas também para as crianças. “As licenças maternidade e paternidade são direitos da criança. A ampliação da licença-paternidade de 5 para 20 dias, conquistada em 2016, nos termos previstos na lei 13.257, já representou um importante passo na luta pela paternidade responsável e relações compartilhadas. Agora, no Santander, são 28 dias. Continuaremos a mobilização para que seja ampliada ainda mais”, destaca a diretora do Sindicato e bancária do Santander, Lucimara Malaquias.

 

Lucimara lembra que, para fazer jus à licença-paternidade de 28 dias, o bancário deve concluir curso de paternidade responsável. O SindBancários costuma realizar cursos para os pais a partir da demanda. Procure o Sindicato para receber orientação.

“O curso, além de pré-requisito obrigatório para a ampliação da licença-paternidade, é uma oportunidade de enriquecer ainda mais o convívio entre o pai e o futuro filho, compartilhando as responsabilidades e fortalecendo vínculos afetivos”, diz a diretora do Sindicato.

Devido à pandemia de Coivid-19, o SindBancários está com cursos presenciais suspensos. Ligue para o Sindicato (51) 3433-1200 e se informe.

Fonte: SEEB São Paulo, com Edição de Imprensa SindBancários

 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER

Luciano Fetzner Barcellos
(Banrisul)
PRESIDENTE

Tags

Filiado à Fetrafi/RS, Contraf/CUT e CUT
Rua General Câmara, 424-Centro / CEP:90010-230 /
Fone: 51-34331200

Porto Alegre / Rio Grande do Sul / Brasil

Categorias

Categorias

Categorias