Todos e todas precisam de sindicato: funcionários do Google e Amazon criam entidade de defesa de direitos

Assim como os trabalhadores de demais setores sociais, empregados das gigantes digitais agora estão filiados ao Sindicato dos Trabalhadores da Alphabet, proprietária do Google

O Google já foi eleito por diversos anos a melhor empresa para se trabalhar nos EUA e, em 2017, era tido como um grande lugar para se trabalhar por 97% de seus empregados. Ainda assim, seus trabalhadores criaram, no início deste ano, o Sindicato dos Trabalhadores da Alphabet, empresa proprietária do Google. Afinal, seja meio digital ou não, patrão é patrão, e trabalhador deve se unir para defender seus direitos.

Demissões e retaliação

A iniciativa ganhou força depois da demissão de funcionários de alto nível e luta contra retaliações, além de contratos governamentais controversos. Em outra big tech mundial –  a Amazon – os funcionários  também caminham nesse sentido, apesar da resistência da empresa.

Amazon
A revista Intercept_Brasil, em sua edição de dezembro último, já tinha relatado o fato. Veja a narrativa inicial da repórter Natasha Lennard:

“Estatísticas impressionantes têm circulado nas redes sociais sobre o boom da Amazon durante a pandemia e a riqueza obscena acumulada por seu CEO, o homem mais rico da Terra, Jeff Bezos. A empresa relatou uma receita de US$ 96,1 bilhões no último trimestre, o que, segundo o Institute for Policy Studies, significa que Bezos poderia pessoalmente pagar aos 876 mil funcionários da Amazon um bônus de US$ 105 mil, e continuar sendo tão rico quanto antes da pandemia. Trabalhadores de armazém nos EUA e Reino Unido, que são obrigados a ficar em perigosa proximidade, enquanto lidam com as ondas de pedidos, receberam a oferta de um bônus de fim de ano de US$ 300. Mas muitos que estão dando duro em outras áreas da vasta cadeia de fornecimento da Amazon vão receber bem menos, se é que receberão alguma coisa”.

Aliança Global

Já no fim de janeiro, o próprio Google também criou uma aliança sindical global, a Alpha Global, para unificar direitos de trabalhadores e trabalhadoras da empresa em mais de dez países. A Alpha Global é filiada à UNI Global Union. Aqui no Brasil, o Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região é um dos filiados.

Deixa com  o Sindicato

O Google faz coisas inovadoras, mas a experiência em defender os trabalhadores é com os próprios trabalhadores organizados – como nos sindicatos. Esta luta faz parte do nosso código fonte. Pioneirismo em defender quem precisa é com a gente mesmo. Invista em quem defende você. Todo mundo precisa de um sindicato – como fica provado mais uma vez. Se não é filiado, filie-se!

Fontes: Imprensa SindBancários, com informações da Intercept Brasil, SindBancários de SP e Região. Ilustração: SindBancários de SP e Região. Foto: Intercept Brasil/Getty Images

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Todo mundo precisa de um sindicato: funcionários do Google criam aliança filiada à UNI
Sabe o que você, bancário, e quem trabalha no Google e na Amazon têm em comum? Todo mundo precisa de um sindicato

 

 

 

 

 

 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER