Sindicatos garantem aumento real para 43% das categorias

Além disso, 29% tiveram acréscimos iguais à inflação e 28% amargaram perdas reais pelo INPC

Um estudo realizado pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estudos Socioeconômicos), divulgado neste mês de outubro, mostrou a resistência dos trabalhadores organizados nas negociações salariais deste ano, mesmo diante de toda conjuntura política e econômica adversa. O resultado da análise reafirma a importância das entidades sindicais na vida do trabalhador.
Reajustes salariais

A pesquisa analisou 4.938 reajustes salariais de categorias com data-base entre janeiro e agosto de 2020, registrados até a primeira quinzena de setembro. Os dados mostram que cerca de 43% dos reajustes resultaram em aumentos reais aos salários, 29% em acréscimos iguais à inflação e 28% em perdas reais, com base na variação inflacionária desde o último reajuste de cada categoria pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A variação real média dos salários em 2020 é ligeiramente negativa: – 0,07%.

Fontes: https://www.dieese.org.br/boletimnegociacao/2020/boletimnegociacao02.html e SEEB/RJ

Mídia

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER