Sindicato visita Bradesco em Cachoeirinha

Dirigentes foram verificar se banco cumpre acordos sanitários com Comando Nacional dos Bancários e se está cumprindo revezamento de colegas no atendimento presencial durante a pandemia de coronavírus

Mais uma mostra de que nem o novo coronavírus não é capaz de impedir que dirigentes cumpram seu papel de visitar colegas que estão em regime de atendimento presencial durante a pandemia do novo coronavírus. Na quinta-feira, 28/5, dois dirigentes do SindBancários estiveram na agência do Bradesco, de Cachoeirinha, na região Metropolitana de Porto Alegre.

Os dirigentes constatarem o uso correto dos Equipamentos de Proteção Individuais (EPIs e a disponibilidade de álcool em gel. A agência consegue   organização revezamentos, mas o processo pode melhorar.

“Fizemos uma visita de rotina para ver como estavam as condições de trabalho. Há revezamento no ambiente de trabalho e os bancários estão conscientes do perigo que a pandemia representa para eles e para seus familiares. Uma pessoa não estava usando máscara, um prestador de serviço do banco”, detalhou o diretor do SindBancários Luiz Gustavo Soares, que também é funcionário do Bradesco.

Os dirigentes conversaram com os colegas. Explicaram os direitos que eles têm como trabalhadores na pandemia e orientaram a procurar o Sindicato em caso de um desses acordos não estar sendo cumprido pelo banco. Além disso, reiteraram a importância de usar e solicitar ao banco as máscaras, itens obrigatórios desde que o governo do Estado editou Decreto em 10 de maio.

Na quinta, 28/5, havia poucos clientes na agência Cachoeirinha do Bradesco. Ela estava fechada e atendendo por agendamento. Uma fila de poucas pessoas esperava para ingressar no setor de autoatendimento e realizar alguma operação nos caixas eletrônicos.

“Os colegas têm direito ao revezamento. E o banco tem que fornecer as máscaras e o álcool em gel. Também é necessário ficar atento aos colegas que estão no grupo de risco. Acima de 60 anos e quem tem atestado de que tem alguma doença crônica, como diabetes, pressão alta ou asma, deve ficar em casa para preservar a sua vida e a dos colegas”, explicou o diretor do Sindicato, Eduardo Munhoz.

Fale com o Sindicato

Se o seu banco não cumpre acordos de restrição de atendimento ou de proteção sanitária, entre em contato com o Sindicato. Preencha o formulário eletrônico clicando nesta linha que entraremos em contato para ter mais esclarecimentos e ajudar a resolver a sua demanda.

Fonte: Imprensa SindBancários

 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER