Sindicato pede apoio da categoria para conter epidemia de Covid-19 na Caixa

Pedido de esclarecimento sobre avanço do vírus não foi respondido pelo banco

Diante do silêncio da Superintendência Regional da Caixa Econômica Federal, que há uma semana não responde ao ofício encaminhado por diretores do Sindicato dos Bancários de Porto Alegre e Região sobre a situação da disseminação do Coronavírus nas agências e escritórios do banco, o Sindbancários decidiu alertar, mais uma vez, sobre o avanço da sepa Ômicron junto de sua base de trabalhadores. A ideia é criar uma rede colaborativa para registrar o volume de casos de Covid-19 e para isso é importante que todos os bancários reportem informações sobre o assunto para a entidade, como explica a dirigente sindical, Sabrina Muniz.

“Nós ainda estamos aguardando o retorno do ofício enviado à Caixa, mas não estamos parados, estamos sempre em contato com colegas e visitando unidades para verificação. Pedimos que os colegas reforcem os cuidados e que nos reportem os casos, seja pelo site do Sindbancários ou procurando um dirigente sindical para conversar”, apela Sabrina.

Apesar de não haver uma estimativa precisa do número de contaminações em cada agência da região metropolitana, o quadro que vem sendo desenhado é de avanço alarmante nas infecções, com mais de 20 casos confirmados somente em Cachoeirinha e Porto Alegre. O Sindicato tem feito o acompanhamento dos casos e a interlocução com os gestores locais para garantir que os protocolos sanitários de combate ao vírus sejam aplicados, no entanto, é necessário que medidas mais assertivas sejam tomadas por parte do banco.

No edifício Querência, que concentra unidades administrativas da Caixa no Rio Grande do Sul, estão sendo relatados casos em todos os andares do prédio, tanto em empregados, como em funcionários terceirizados. Para Caroline Heidner, diretora de Financeiras e Terceirizadas, é inconcebível que a Caixa ignore a gravidade da situação

“Os protocolos de prevenção previstos pela Caixa são o mínimo necessário para a proteção das pessoas, mas temos observado pontualmente situações de afrouxamento que são preocupantes. No caso do Edifício Querência, infelizmente, vemos alguns colegas trabalhando sem máscara, o que em tempos de variante ômicron é inadmissível”, critica.

Caroline destaca que muitos gestores ampliaram o número de pessoas em home office, como medida preventiva. No entanto, defende que é hora do banco retomar o teletrabalho nos patamares anteriores”

“O avanço do vírus está ocorrendo tão rapidamente que é possível e necessário o retorno ao teletrabalho de todos os colegas que possam fazer suas tarefas remotamente”, avalia.

Segundo o diretor financeiro do Sindicato dos Bancários, Tiago Pedroso, a Caixa faz o jogo de Bolsonaro e omite informações propositalmente, mostrando que não se importa com a vida ou bem-estar físico de seus funcionários.
“Pedro Guimarães e sua Trupe não assumem sua responsabilidade com o quadro funcional, nem com trabalhadores(as) terceirizados(as) e muito menos com a população. Cabe aos empregados e empregadas do banco, em conjunto com as entidades sindicais e associativas, fazerem os alertas de cuidado e prevenção para superarmos a Pandemia. Sem os dados estatísticos de casos na Caixa só não estamos às cegas porque somos organizados e nossos(as) colegas estão cumprindo um importante papel, ao procurarem a ajuda do Sindicato”, analisa o diretor.

Conforme Pedroso, a responsabilidade dos(as) colegas faz a diferença e funciona como uma espécie de fio de esperança diante do obscurantismo da gestão pública Federal. “Não é apenas um fio, é uma força de resistência, de civilidade e de dignidade! Este laço é forte e nos trouxe até aqui. Com ele, cruzaremos por todas estas mentiras, pelo fascismo e pelo obscurantismo! Resistiremos! A Luta é de Todos e todas”, garante.

Contraf-CUT cria campanha para alertar bancários da caixa sobre Covid

A Comissão Executiva de Empregados da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) lançou também nesta sexta-feira um comunicado e uma série de cards e materiais gráficos para compartilhamento na internet sobre os protocolos de prevenção ao vírus.

“A pandemia não acabou. Ao contrário, vemos a volta do aumento dos casos de infecção, internações e mortes por Covid-19 no país, com o agravante do aparecimento de um surto de gripe (Influenza) em diversos estados. Por isso, é importante que os colegas mantenham-se alertas para o cumprimento dos protocolos de segurança sanitária e denunciem aos seus respectivos sindicatos casos de desrespeito por gestores ou pelo banco”, afirma a coordenadora da CEE, Fabiana Uehara Proscholdt, que também é secretária de Cultura da Contraf-CUT. Clique aqui e confira detalhes da campanha digital.

Texto: Marcus Perez com revisão de Manoela Frade

Imprensa SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER