Sindicalistas entregam pauta de reivindicações ao Banrisul sem serem recebidos pela presidência do banco

Após estranhar a ausência do presidente do Banrisul, Luiz Gonzaga Mota, para receber das mãos dos diretores do SindBancários e Fetrafi-RS a Pauta de reivindicações específicas dos Banrisulenses, no início da tarde desta sexta-feira, 15/6, na sede da Direção Geral do banco, o presidente do Sindicato, Everton Gimenis, disse que “neste momento terrível que o estado e o Brasil atravessam, a instituição financeira deveria ser mais receptiva e facilitar as negociações com os trabalhadores”. De fato, desta vez os dirigentes sindicais sequer foram recebidos em gabinete: a entrega da pauta se deu no saguão do 15º andar do banco, junto aos elevadores. O documento dos bancários foi recebido pelo superintendente de Gestão de Pessoas do banco, Gaspar Saikoski.

Veja aqui galeria de fotos dos atos de lançamento da Campanha Nacional 2018

Gimenis lembrou que desta vez, quando se celebra o 26° acordo coletivo de trabalho, o que o Banrisul estadual apresenta aos funcionários e a sociedade é o fatiamento de seus ativos mais importantes, como a Banrisul Cartões e os leilões de ações feitos de forma nebulosa. “Desde que o governo Sartori assumiu, nós não conquistamos mais nada nas cláusulas aditivas. Só renovar estes itens já representou uma vitória. O que nós queremos é uma negociação respeitosa, e não só do acordo e dos aditivos, mas também fazer a discussão do banco como entidade pública. O Banrisul não pode ser o pior banco nas negociações”, protestou o sindicalista.

Assista ao vídeo dos atos de lançamento e entrega de pautas da Campanha Nacional 2018

Pauta democrática

Denise Falkemberg, diretora da Fetrafi-RS, lembrou que a pauta foi construída de maneira democrática e dialoga com o banco público dos gaúchos e gaúchas, que deve permanecer nestas condições. Para Denise, é importante que o banco examine a pauta dos trabalhadores e convoque logo uma reunião para discutir os pontos: “Estender demais esta negociação não é bom para ninguém”, reforçou a bancária.

Já o diretor de Formação da Fetrafi-RS, Carlos Augusto Rocha, lembrou que mesmo que o presidente do banco não tenha tido a deferência de receber a pauta da mão dos sindicalistas, “se o Banrisul só continua de pé, ajudando o estado a crescer e dando emprego aos banrisulenses, em boa parte é por causa da luta sindical”. Rocha também assegurou que os sindicalistas vão continuar a usar toda a sua energia militante para fortalecer a instituição e os funcionários.

Calendário da Fenaban

Gaspar Saikoski, que recebeu a pauta de reivindicações em nome presidência do banco, disse que o Banrisul acompanhará as orientações da Fenaban e o calendário de negociação determinado por ela.

Fotos: José Antônio Silva

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER