Sindicalista participa de Gibiteca a serviço da educação

Bancário e sindicalista Edison Moura contribui no conhecimento dos estudantes com base nas HQs da Marvel e Turma da Mônica

O diretor da Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Instituições Financeiras (Fetrafi-RS), Edison Luis Amaral de Moura, do Banco Itaú, mestrando em Memória Social e Bens Culturais na Universidade La Salle, está “enquadrado” no Projeto Gibiteca. A ideia, que nasceu em setembro de 2018 e partiu de provocação de Lisiane Terezinha Dias Olsen, tem como centro o uso das histórias em quadrinhos como suporte para o aprendizado dos estudantes da rede municipal, ensino fundamental e médio em Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre. “A experiência é inédita e pode ser fantástica. A ideia partiu da provocação O objetivo é buscar a interação e conexão dos alunos a partir dos desenhos, das histórias e aventuras e suas interferências na vida dos heróis”, assegurou Moura, integrante do grupo de pesquisa Universos Paralelos.

Neste momento, estamos visitando os diretores das escolas, apresentando o Gibiteca e buscando adesões. Na proposta pedagógica, dividimos as matérias e selecionamos os quadrinhos relacionados com os temas como suporte didático. Assim, contemplaremos o inglês, a história, cultura, geografia, matemática, além do comportamento, diversidade ou alguma disciplina ou tema apresentado pelos alunos”, esclarece o mestrando. Na sua perspectiva, 2020 poderá representar o ano de implantação das Gibitecas.

Guerra Fria

Nesta moldura, em salas de aulas os “estudantes terão ciência da Guerra Fria nas páginas coloridas do Homem de Ferro, abrirão os olhos com o alucinante Quarteto Fantástico, serão capazes de aprimorar o inglês na corrida espacial e projetar suas vidas com base nas diversidades lendo o X-Man”, aquarelou Moura.

O projeto, inicialmente, será focado nas publicações da Marvel Comics, grupo de mídia norte-americano, considerada a maior editora de histórias em quadrinhos do mundo.

Mônica e Cebolinha

Também vamos trabalhar com os clássicos gibis do Maurício de Sousa, como a Mônica e o Cebolinha. Importante ressaltar que todos os livros, quadrinhos e gibis que usaremos nas aulas serão doados às escolas para ampliar ou começar uma Gibiteca”, finaliza o sindicalista e mestrando Edson Moura.

Universos Paralelos

O grupo surgiu em 2014 e realiza pesquisas na área da cultura pop e, com esta base, busca contribuir para a melhoria da educação pública. Hoje, mais de 30 pessoas fazem parte do time. Todos os anos, sempre em setembro, acontece um evento com debates, seminários, oficinas e outras atividades envolvendo o mundo da cultura pop. A atividade, organizada pelo Universos Paralelos, reúne todas as tribos na Universidade La Salle, em Canoas.

Texto e foto: Moah Sousa

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER