SindBancários se solidariza e pede que bancários fortaleçam greve dos Municipários em Cachoeirinha. Saiba como ajudar

Nesta terça-feira, 25/4, a greve dos Municipários de Cachoeirinha chega ao seu dia 50. Trata-se da maior greve da categoria desde que Cachoeirinha passou a Município há meio século. A greve, neste dia histórico, chega a um dilema a partir de uma decisão que o prefeito Miki Breier (PSB) tomou nesta semana. Sem avisar, sem debater e até atropelando a Lei de Greve, Miki Breier anunciou que irá cortar o ponto de todos os grevistas.

Cortar o ponto não significa apenas atacar a legítima greve dos Municipários. Significa que os servidores púbicos municipais ficarão sem salários e precisam da solidariedade de quem puder ajudá-los. A situação é tão difícil que há grevistas que não conseguem sequer pagar o aluguel ou mesmo ir ao supermercado para comprar itens de primeira necessidade. Pensando nas greves dos bancários e quando ficávamos isolados sob o silêncio dos banqueiros nas mesas de negociações, o SindBancários solicita aos trabalhadores de sua área de atuação que ajudem a fortalecer o movimento grevista dos Municipários de Cachoeirinha.

Nesta segunda-feira, 24/4, o presidente do SindBancários, Everton Gimenis, recebeu em seu gabinete um resistente grevista de Cachoeirinha. O professor de História, Rafael dos Santos, do Comando de Greve, fez um apelo e um pedido de ajuda. “O governo municipal cortou o ponto. Na próxima folha, esperamos pelo pior que é ficar sem salário. A Lei de Greve diz que ele só pode cortar no máximo de 30% do ponto dos grevistas. Ninguém pode ficar sem salário. Ele quer botar a conta da crise no nosso lombo”, explicou.

Quem puder ajudar, os Municipários aceitam qualquer ajuda. Pode ser levar uma cesta básica, gêneros alimentícios ou depositar na conta do Sindicato dos Municipários de Cachoeirinha (SIMCA) qualquer valor. O SIMCA tem levado ajuda aos trabalhadores em greve. O Sindicato, porém, não tem condições, em função dos investimentos na greve, de ajudar mais e precisa de ajuda.

“Tem colegas com dificuldade de pagar aluguel. O prefeito tem mostrado como um gestor público não deve se comportar numa negociação com servidores municipais. Já tivemos cinco reuniões de negociação com representantes da prefeitura e ele só apareceu para participar durante 20 minutos em uma delas”, contou o professor Rafael.

Nos primeiros dias da greve dos Municipários, a Brigada Militar investiu contra os manifestantes. Houve policiais militares que chegaram a agredir servidores públicos com golpes de cadeira de praia. Os grevistas foram alvo de cassetetes, bala de borracha e gás lacrimogêneo. A manifestação dos servidores do município começou quando o prefeito enviou a Câmara de Vereadores um pacote de maldades que incluía redução drástica de direitos

A lista de cortes é semelhante àquela que o governador Sartori enviou para a Assembleia Legislativa nos últimos dois anos. Só não incluiu extinção de fundações públicas porque o município não tem. A retirada de direitos é geral (leia ao final desta reportagem). Ex-deputado estadual da base de José Ivo Sartori, Miki Breier é da ala do PSB que apoia a retirada de direitos de servidores, venda de estatais e dá sustentação ao discurso de crise que tem como única saída a redução do tamanho do Estado, com venda de estatais, e o ataque a direitos dos trabalhadores.

“Pedimos aos bancários que puderem que se solidarizem com os companheiros Municipários de Cachoeirinha. Muitas das nossas greves ficaram em impasse e essa estratégia de atacar o movimento já atrapalhou muito as nossas paralisações. Recebemos ajuda de muitas outras categorias de trabalhadores quando solicitamos. Quem é grevista como os bancários sabe o quanto uma ajuda faz diferença para as nossas conquistas. Vamos ajudar os servidores de Cachoeirinha que estão dando um exemplo de resistência a todos esses ataques contra os nosso direitos”, finalizou o presidente do SindBancários, Everton Gimenis.

Alguns dos ataques a direitos dos Municipários pelo pacote de maldades do prefeito Miki Breier

> Para os professores de educação especial a proposta é cortar o adicional de 50%.

> Além de retirar direitos gerais, Miki Breier quer mudar o Plano de Carreira. Os reajustes do triênio caem de 6% para 3%.

> Risco de vida cortado pela metade, redução de 80% para 40%.

> Corte de risco de vida para motoristas e uma cláusula que praticamente põe fim a essa carreira, permitindo que qualquer “CC” possa dirigir.

> Redução do vale-refeição de forma escalonada. Salários acima de R$ 2 mil terão cortes maiores no valor do vale.

Para ajudar os trabalhadores Municipários de Cachoeirinha:

> Leve mantimentos ou cesta básica até a sede do SIMCA (Sindicato dos Municipários de Cachoeirinha), na Avenida Flores da Cunha, 903, Sala 202, Centro de Cachoeirinha (próximo ao Calçadão).

> Para depositar o valor que puder, a conta do SIMCA é no Banrisul

Agência: 0152.96

Conta: 06.151.720.0-6 CNPJ : 93075026/0001-80

Entre em contato com o SIMCA

Fones: (51) 3470-6902/3438-6655

Acompanhe a página oficial no facebook

https://www.facebook.com/SindicatoDosMunicipariosDeCachoeirinhars

Fonte: Imprensa SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER