Recorde negativo: Sindicato registra centésimo assalto a banco já no início do junho

Quando chegaram na agência do Itaú, da avenida Farrapos em Porto Alegre, na manhã da segunda-feira, 8 de junho, bancários encontraram um buraco na parede feito dois dias antes. Criminosos haviam tentado, no sábado de madrugada, 6/6, acessar o cofre da agência. Além da sensação de vulnerabilidade que os colegas sentiram, essa ação marcou um grave patamar nas estatísticas de violência bancária que o SindBancários mantém desde 2006. Foi o centésimo ataque a banco em 2015 contra agências bancárias no Rio Grande do Sul.

Mas preste atenção nesta data. O 8 de junho é importante para compararmos com os outros anos os dias em que se atingiu o número de 100 ataques. Em 2014, o ano com mais ataques antes de 2015, o centésimo ataque a banco no RS chegou 17 dias depois, em 23 de junho. Leia aqui a coluna Olho Vivo, do SindBancários, com comentário sobre o centésimo ataque a banco no RS em 2015.

O SindBancários vem alertando desde o início deste ano que as decisões sobre redução de investimentos na área de segurança do governo Sartori têm implicado no crescimento da violência contra bancos no Estado. “Temos demonstrado pelo acompanhamento que fazemos que há um crescimento dos números absolutos na comparação com outros anos nos primeiros seis meses. Chegar a 100 ataques mais cedo no ano é mais uma prova do impacto da redução da presença do Estado na defesa da população gaúcha e dos bancários”, diz o presidente do Sindicato, Everton Gimenis.

Analisar os 100 casos e cruzar com as datas que ocorreram revela que, nos dois últimos anos, houve crescimento histórico. Em 2013, por exemplo, o volume de 100 ataques chegou no dia 18 de julho, enquanto em 2012 (7/8), 2011 (8/12) e 2010 (29/11). “Estamos vendo que há um claro aumento da violência bancária. Isso nos preocupa. Porque a redução de investimentos deixa bancários, clientes, vigilantes apavorados e expostos a sequestros, assaltos e explosões. O que precisamos para melhorar a segurança nos bancos é de mais e não de menos investimentos”, acrescenta Gimenis.

Já são 108 casos, segundo o levantamento do SindBancários até 24 de junho, a quarta-feira, em todo o Estado. Neste ano, já ocorreram mais casos desde, pelo menos, 2010. Em 2013, foram 102, enquanto nos outros anos o volume até o final de junho foi 88 (2013), 79 (2012), 48 (2011) e 63 (2010).

 

100 ataques a cada ano mais cedo

2010: 100 ataques a bancos em 29 de novembro

2011: 100 ataques a bancos em 8 de dezembro

2012: 100 ataques a bancos em 7 de agosto

2013: 100 ataques a bancos em 18 de julho

2014: 100 ataques a bancos em 23 de junho

2015: 100 ataques a bancos em 6 de junho

Fonte: Imprensa SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER