SindBancários recebe visita de ex-dirigente e comentarista de arbitragem Carlos Eugênio Simon

Ele entrou pela porta da Casa dos Bancários e já distribuiu simpatia. Cumprimentou funcionários do Sindicato. Abraçou velhos amigos. O ex-árbitro Carlos Eugênio Simon visitou, na tarde desta sexta-feira, 24/7, a sede do SindBancários, lugar onde trabalhou como dirigente de várias áreas de 1987 a 1996.

Simon disse que fazia um tempo que não aparecia na Casa dos Bancários. E que bateu saudade. De folga da atividade de comentarista de arbitragem do canal esportivo Fox Sports Brasil, Carlos Simon reviveu bons tempos de sindicalista. Lembrou que foi Diretor de Esportes do Sindicato e que conseguiu promover uma olimpíada com 13 modalidades esportivas para os bancários. “As nossas modalidades procuravam atender a diversidade dos bancários. Tinha sinuca para os aposentados e até natação. O problema da natação é que só tivemos um competidor”, lembra ele.

Funcionário do Unibanco de 1984 a 1997, Simon trabalhou na Agência Sete de Setembro, no Centro de Porto Alegre. E basta pensarmos no número de funcionários que essa única agência tinha na época para percebermos o impacto que a tecnologia do autoatendimento e a fome por lucro dos banqueiros exerceram sobre o número de trabalhadores nas agências. “Só na minha agência tinha 380 bancários. Era o tempo que a gente tinha que fazer tudo. Desde o pagamento da luz até o saque para os clientes”, diz.

Dois encontros lembraram de uma fase de politização intensa da categoria.  Era o tempo da abertura política, pós Ditadura Militar, e do início da atividade sindical de dirigentes que hoje estão no comando do SindBancários. Foi o caso do diretor da Fetrafi-RS, Arnoni Hanke e do presidente do SindBancários, Everton Gimenis. Arnoni foi colega de Simon no Unibanco, banco que foi incorporado pelo Itaú.

“Eu estava começando no movimento sindical quando o Simon era diretor de esportes do Sindicato. Participei de torneio de futebol que ele organizou. Naquela época, tinha poucos dirigentes de bancos privados. O Simon era um deles. Ele foi um dos motivos de eu me tornar dirigente também”, disse Gimenis, que presenteou Simon com livros da história do Sindicato em quadrinhos e da Oficina Literária do SindBancários.

“O Simon tem uma trajetória como dirigente sindical, como bancário, com árbitro e agora como comentarista irreparável. É um grande cidadão. Fomos colegas no Unibanco e ele sempre foi politizado e solidário com todos os colegas. É um exemplo para todos nós”, contou Arnoni.

Acompanhado de um filho e do afilhado, Simon disse que veio fazer uma visita de cortesia. A carreira de dirigente sindical não se encerrou com a atuação no SindBancários. Carlos Simon, conhecido por ser politizado e de esquerda, foi presidente do Sindicato dos árbitros do Rio Grande do Sul até 2012. É jornalista diplomado e atuou como coordenador-executivo do Comitê Gestor da Copa (CGCopa RS) durante o governo Tarso Genro.

Fonte: Imprensa SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER