SindBancários pede esclarecimentos à diretoria do Badesul sobre redução de funcionários e atrasos de salários publicados em Zero Hora

Depois que o jornal Zero Hora publicou reportagem em seu site oficial, na terça-feira, 27/12 (leia aqui), tendo diretores do Badesul como fontes, o SindBancários agiu. Em ofício com data desta quarta-feira, 28/12, a diretoria pede esclarecimentos sobre uma suposta redução de 30% dos cargos da agência de fomento e de atrasos de salários por conta da implantação de um plano de recuperação até 2018. O documento foi entregue à tarde na sede do Badesul e também sugere a realização de uma reunião para os próximos dias (leia ao final dessa reportagem).

O presidente do SindBancários, Everton Gimenis, disse que o Badesul é uma agência saudável que financiou duas empresas com problemas por causa da crise financeira que atingiram setores da economia. “Os funcionários do Badesul sabem que o banco não corre riscos de fechamento. Tem patrimônio, tem saúde financeira. O que nos deixa apreensivo é a repetição de publicação de reportagens por esse mesmo jornal, manchando a imagem do Badesul. As reportagens só analisam dois financiamentos e dizem que o Badesul está em risco de quebrar. Já conversamos com diretores que nos disseram que não há riscos de isso acontecer”, avaliou Gimenis.

A julgar pelas reiteradas reportagens publicadas por este mesmo jornal desde setembro do ano passado, dizendo que o Badesul corre risco de quebrar, pode-se dizer que há algum interesse no banco de fomento. O Badesul não entrou no pacotaço de privatizações e extinções do governo Sartori, mas pode entrar. Talvez, as reportagens do jornal Zero Hora, combinadas com a total falta de interesse do governo do Estado de defender o Badesul, possam mostrar que há interesse em atacar a imagem do banco para reduzir a sua importância ou desvalorizá-lo.

https://www3.sindbancarios.org.br/wp-content/uploads/2016/12/badesul_oficio_28122016.pdf

Crédito foto: Caco Argemi

Fonte: Imprensa SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER