SindBancários lança petição on line contra novo golpe da terceirização na Câmara dos Deputados. Mande um email para todos deputados federais e senadores

A terceirização é um assunto recorrente para os bancários e bancárias. Desde 2004, quando o deputado federal Sandro Mabel (então no PMDB), propôs o PL 4330, o Sindicato se lançou numa campanha de denúncia contra a precarização dos nossos direitos. Pois, em 2015, sob o comando do deputado federal Eduardo Cunha (PMDB) e que está preso, o PL 4330 foi aprovado na Câmara dos Deputados e passou a tramitar como PLC 030 no Senado.  Mas, na semana passada, o atual presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), trouxe de volta o fantasma da terceirização.

Entre aqui para assinar a petição online contra o PL 4302/98.

Depois de dizer que a Justiça do Trabalho não é necessária, Maia avisou que, a partir de 21 de março, a terça-feira, vai levar à votação o PL 4302/98.  Está em andamento mais um golpe contra os direitos de todos os trabalhadores e trabalhadoras. De forma pouco transparente, como tem se caracterizado as ações do governo Temer e dos deputados federais da base governista, mais um ataque aos direitos dos trabalhadores está prestes a desferir um golpe histórico nas nossas conquistas. Aliás, o maior desde que foi promulgada a Consolidação das Leis do Trabalho, a CLT, em 1943.

Conquistas como a Carteira de Trabalho assinada, 13º salário, férias e tantos outros benefícios que lutamos muito para conquistar estão na mira de mais um projeto de terceirização. Se hoje a terceirização atinge trabalhadores de atividades meios, este projeto de Lei que ameaça ser votado e sancionado a qualquer momento, o PL 4302/98, acaba com a responsabilidade subsidiária das empresas que terceirizam e terceiriza a atividade-fim.

Se outros projetos que propõem a terceirização somam perdas aos trabalhadores, esse PL desobriga as empresas que terceirizam suas atividades fins assumir responsabilidade por qualquer problema que uma contratada possa ter. Em resumo, se a terceirizada quebrar, os trabalhadores ficam de mãos vazias. Um grande banco privado, por exemplo, poderá contratar uma empresa que forneça serviços de caixa. Se essa terceirizada quebrar, o banco privado do exemplo não precisará se responsabilizar pelo pagamento de dívidas desta terceirizada com os trabalhadores.

Nós, trabalhadores, para que possamos trabalhar e produzir a riqueza deste país,p precisamos de mais direitos e de trabalho de primeira. A terceirização da atividade-fim, como já ocorre em outros países, cria uma subclasse de trabalhadores, o chamado precariado. Ela reduz direitos.

Assine a petição online e envie email para os 513 deputados federais e os 81 senadores, deixando bem clara sua oposição a mais esse ataque aos direitos dos trabalhadores.

Não à terceirização!

Saiba como participar da petição online

> Clique diretamente no endereço http://dialoga.sindbancarios.org.br/todas-e-todos-contra-a-lei-da-terceirizacao/ e assine a petição!

> Preenche os espaços com seu nome, sobrenome e emailClique na paleta de cor laranja Assinar e enviar aos Deputados federais e Senadores

Pronto! Seu pedido vai diretamente para os emails de cada um dos 513 deputados federais e dos 81 senadores do Congresso Nacional

Fonte: Imprensa SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER