SindBancários fortalece Campanha Salarial com caravanas para dialogar com clientes e valorizar trabalho dos(as) bancários(as)

As caravanas são aquelas oportunidades que os bancários e as bancárias da base do SindBancários têm para falar diretamente sobre Campanha Salarial com seus representantes para mostrar aos clientes que os bancários fazem o que podem para atender todo mundo. Pois a jornada de caravanas do Sindicato passou por agências de Canoas, na quinta-feira, 25/8, falando aos bancários da importância da participação e da união de todos nós para enfrentarmos os banqueiros. Nesta sexta-feira, as agências das Zonais da avenida Cristóvão Colombo, Benjamin Constant e do Bairro Moinhos de Vento, em Porto Alegre, serão visitadas.

Os dirigentes sindicais não estão sozinhos nessa. Uma dupla de atores do Grupo Trilho empresta alegria com seus esquetes. Não é pouco o que a representação da vida do trabalhador bancário tem feito nas agências pelas quais a caravana passa. Vida de assédio moral, de cobrança por metas abusivas. A gestão do banco não é fácil. Amplia metas para explorar os bancários e as bancárias. Há clientes que vão conversar com os dirigentes para dizer que é muito importante o que o Sindicato tem feito e dar os parabéns pela defesa dos trabalhadores.

Tudo é lucro no banco e redução de custos. Muitos clientes não sabem nada disso. Acreditam que os bancários são os culpados pelas longas filas. Os bancários fazem o que podem e até mais do que podem.

“As nossas caravanas estão sensibilizando os clientes da importância de uma agência bancária ter mais bancários para o atendimento. A aceitação está sendo muito boa. Muitos clientes vêm nos falar que não sabiam das dificuldades, das demissões que os banqueiros promovem e do número cada vez mais reduzido de funcionários para prestar um serviço”, diz o presidente do SindBancários, Everton Gimenis.

Veja aqui as imagens da caravana do SindBancários.

Este ano, a Campanha Salarial nacional dos bancários tem um grande desafio. Os ataques à democracia são realizados pelos mesmos políticos que assumiram interinamente o país e que também querem criar condições para atacarem direitos dos trabalhadores. A terceirização, o fim da CLT, o fim das férias e do 13º salário estão na ordem do dia e atendem pelo nome de “negociado sobre o legislado”. Sem contar que aposentadoria pode ficar para depois dos 70 anos. Trabalhar até morrer pode ser a nossa alternativa.

Mas tem mais. Os banqueiros já foram para a mesa de negociação com o Comando Nacional dos Bancários em duas rodadas em São Paulo. Na primeira, os representantes dos bancários cobraram mais rapidez na avaliação da pauta, entregue em 9 de agosto. Na segunda, cobraram uma resposta concreta, uma proposta de reajuste. Eles ficaram de dar um retorno até 29/8.

Os banqueiros, todos nós sabemos, não têm do que se queixar. Os seis maiores bancos (Banco do Brasil, Itaú, Caixa, Santander, Bradesco e Banrisul) lucraram mais de R$ 30 bilhões no primeiro semestre deste ano. Eles estão chorando porque o lucro caiu. Mas queda de lucro nãoé prejuízo. Ainda mais que as tarifas bancários estão sendo reajustadas e o juro do cartão de crédito já passam de 400% ao ano. E as demissões? Foram quase 7 mil nos últimos 12 meses.

Vamos continuar conversando com os bancários, visitando as agências e levando humanidade para esse setor que explora muito, lucra muito. Mesmo assim, os banqueiros vivem chorando. Mas eles têm condições de atender as reivindicações dos bancários. Os bancários e as bancárias sabem que a força da nossa categoria, a única com um acordo coletivo nacional, está na nossa unidade e na nossa participação. Bancário, só a luta te garante!

Calendário de mobilização das caravanas

Segunda, 22/8: Zonal Farrapos

Terça, 23/8: Zonal Zona Norte

Quinta, 25/8: Zonal Canoas

Sexta, 26/8: Zonais Cristóvão/Benjamin/Moinhos

Terça, 30/8: Zonal Zona Sul

Quinta, 1º/9: Passeatão dos Bancários

Sexta, 2/9: Zonal Cachoeirinha/Gravataí

Principais reivindicações dos bancários

> Reajuste salarial: 14,78% (incluindo reposição da inflação mais 5% de aumento real)

> PLR: 3 salários mais R$8.317,90

> Piso: R$3.940,24 (equivalente ao salário mínimo do Dieese em valores de junho último).

> Vale alimentação no valor de R$880,00 ao mês (valor do salário mínimo)

> Vale refeição no valor de R$880,00 ao mês

> 13ª cesta e auxílio-creche/babá no valor de R$880,00 ao mês.

> Melhores condições de trabalho com o fim das metas abusivas e do assédio moral que adoecem os bancários.

> Emprego: fim das demissões, mais contratações, fim da rotatividade e combate às terceirizações diante dos riscos de aprovação do PLC 30/15 no Senado Federal, além da ratificação da Convenção 158 da OIT, que coíbe dispensas imotivadas.

> Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS): para todos os bancários.

> Auxílio-educação: pagamento para graduação e pós.

> Prevenção contra assaltos e sequestros: permanência de dois vigilantes por andar nas agências e pontos de serviços bancários, conforme legislação. Instalação de portas giratórias com detector de metais na entrada das áreas de autoatendimento e biombos nos caixas. Abertura e fechamento remoto das agências, fim da guarda das chaves por funcionários.

> Igualdade de oportunidades: fim às discriminações nos salários e na ascensão profissional de mulheres, negros, gays, lésbicas, transexuais e pessoas com deficiência (PCDs).

Crédito fotos: Caco Argemi

Fonte: Imprensa SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER