SindBancários de Porto Alegre repudia notícia sobre redução do Banrisul e marca reunião com diretoria do banco

Em entrevista concedida ao jornal Diário Comércio e Indústria (DCI) de São Paulo, na edição da quinta-feira, 24/11, o diretor financeiro de relação com investidores do Banrisul, Ricardo Richitini Hingel, afirmou que o banco poderá fechar agências. Como o assunto até agora vinha sendo negado pela direção da instituição financeira, o tema trouxe preocupação aos trabalhadores do Banrisul e à direção do SindBancários de Porto Alegre e Região.

Na entrevista, Hingel declarou: “A exemplo do Banco do Brasil, o negócio encolheu e tem que fechar agências. Estamos avaliando fazer um pente-fino em todas as nossas agências, e algumas poderão ser encolhidas e transformadas em postos de atendimento”.

Precarização

“Não concordamos com o fechamento de agências, com o desemprego dos colegas e com a precarização ao atendimento da população”, diz a diretora do SindBancários e banrisulense Ana Guimaraens.

O Sindicato dos Bancários já solicitou reunião com a diretoria do Banrisul para esclarecer o que, de fato, foi declarado pelo diretor financeiro, em entrevista ao jornal paulistano, e qual a real posição do banco.

“Há outros pontos que nos preocupam no atual funcionamento do Banrisul”, completa Ana Guimaraens. A sindicalista aponta os dados revelados pelo diretor financeiro em sua entrevista: “O banco confessa que está contratando estagiários ao invés de funcionários, para reduzir os custos trabalhistas. Em setembro deste ano, o Banrisul tinha 11.255 funcionários e 646 estagiários. Dois meses antes, em junho, o banco registrava 11.283 funcionários e 341 estagiários. Isto demonstra que o Banrisul reduziu o número de colegas e quase dobrou o número de estagiários”, disse.

Cobrança ao banco

“Vamos cobrar estas informações e estes números da direção do banco”, afirma o presidente do SindBancários, Everton Gimenis. “Estamos assistindo exatamente aquilo que vínhamos alertando. Num momento de crise os bancos públicos deveriam ser fomentadores de emprego e renda e não agentes da redução do estado. Estamos voltando aos anos 1990, quando a política de austeridade criou uma crise econômica permanente, reduzindo salários e postos de trabalho. Agora, é o Banrisul do governo Sartori, que quer jogar a conta da crise nas costas dos bancários – mas o Sindicato não vai aceitar”, concluiu o presidente do Sindicato.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER