SindBancários chama colegas do Banco do Brasil para reunião de esclarecimentos sobre perseguições por ações jurídicas

Primeiro, o Banco do Brasil começou uma reestruturação intempestiva, dizendo que ia transferir colegas para outros setores sem avisar nem negociar. Depois, veio o fechamento de agências e a mudança na vida de colegas sem nenhuma conversa ou negociação. Agora, o passo seguinte está sendo atacar aqueles que estão buscando direitos que o banco não cumpriu. Há muitos colegas do BB sendo descomissionados ou tendo seu salário reduzido porque estão com ações na Justiça para cobrar horas extras e outros direitos sonegados pelo banco.

Para que possamos trabalhar juntos na defesa dos direitos dos bancários do BB, é preciso participar. O SindBancários faz a sua parte, chamando aqueles colegas que estão sendo pressionados ou tiveram a carga horária reduzida, assim como o salário, a participar de Reunião de Esclarecimento na quarta-feira, 13/12, a partir das 16h, na sede da Fetrafi-RS. Todos que têm ações ou não podem participar.

Venha tirar suas dúvidas com a assessoria jurídica do Sindicato e receber orientações de como proceder em relação às retaliações do BB. A nossa assessoria de imprensa já emitiu nota, alertando para o caráter ilegal as reduções de gratificações que ferem o direito de acesso à Justiça do Trabalho e prepara uma ação jurídica de questionamento (leia a nota ao final desta matéria).

Um dos esclasrecimentos prévios à reunião da quarta-feira é em relação à atenção sobre os movimentos do banco. O Sindicato alerta que ninguém pode ser obrigado a assinar nenhum documento para assumir compromisso de desistência de ação coletiva em que é representado pelo Sindicato. Portanto, coelga do BB, não assine nada. Venha para a reunião de esclarecimento!

Reunião de Esclarecimento do BB sobre ações jurídicas

Quarta-feira, 13/12 | 16h | Sede da Fetrafi-RS (Rua Fernando Machado, 820, Centro Histórico de Porto Alegre)

NOTA DE ESCLARECIMENTO

O Sindicato dos Bancários de Porto Alegre e Região tomou conhecimento que o Banco do Brasil vem, unilateralmente, reduzindo a jornada de trabalho e, consequentemente, o valor de gratificação de função dos empregados que discutem judicialmente o direito à percepção da 7ª e 8ª horas extras em decorrência da jornada legal de seis horas diárias. O Banco, através de termo de ciência em anexo, destaca que apesar da redução proporcional da gratificação de função às atividades permanecerão idênticas.

A referida conduta é discriminatória, sem qualquer amparo legal, em flagrante ofensa ao direito constitucional de acesso a Justiça.

Além disso, a redução do valor recebido a título de gratificação de função é ilegal, pois acarreta redução salarial.

A conduta do banco visa gerar ambiente de terror como ferramenta de diminuir o acesso à justiça de seus empregados, o que, por certo, não será validado pela Justiça do Trabalho.

O Sindicato destaca que no seu entendimento a assinatura do termo de ciência não conduz à conclusão de que o empregado aceitou a redução de sua remuneração.

Por fim, o Sindicato informa que vai ajuizar ação coletiva para discutir redução salarial. Em caso de dúvida, agende um horário com nossos advogados.

Fonte: Imprensa SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER