SindBancários luta por direitos e cobra mais segurança em ano recorde de violência bancária

A Agência Cristo Redentor do Banrisul, na Avenida Assis Brasil, Zona Norte de Porto Alegre, foi assaltada na manhã desta quinta-feira, 17/03, por pelo menos quatro criminosos armados. A quadrilha invadiu o banco por volta das 9h e só fugiu após uma hora e quinze minutos, aproximadamente, levando dinheiro dos caixas automáticos e as armas dos vigilantes. Essa ação violenta é mais uma a colocar a integridade física dos bancários em risco neste ano. Dirigentes do SindBancários foram até a agência no final da manhã desta quinta para oferecer ajuda do departamento de Saúde do Sindicato e garantir que todos os direitos dos trabalhadores sejam cumpridos.

Conforme o diretor do SindBancarios, Gilnei Vestfal, que foi até a agência com outros diretores prestar solidariedade e apoio aos colegas, após invadirem a agência os criminosos foram rendendo os funcionários que chegavam. “Chegamos à agência e ficamos muito preocupados com os colegas. Estavam todos muito nervosos. Os criminosos ficaram mais de uma hora no interior da agência. Não havia nenhuma condição de manter a agência em funcionamento”, explicou Gilnei.

A diretora Marcia Desch, que também é funcionária do Banrisul, disse que o Sindicato irá continuar monitorando os colegas nos próximos dias. “Somos orientados no departamento de saúde do Sindicato a informar os colegas que, muitas vezes, logo após um assalto, os colegas parecem não ter sentido nada. O problema é que o trauma pode aparecer alguns dias depois. Os sintomas podem ser pânico, falta de vontade de trabalhar e depressão. Vamos ficar atentos “, disse Marcia.

Também estiveram na agência do Banrisul dirigentes do SindVigilantes do Sul, o Sindicato que representa a categoria no Estado.

Agência fechada

Os bancários ficaram retidos sob ameaça de armas, enquanto o bando pegava o dinheiro do cofre dos equipamentos eletrônicos. Após a fuga dos assaltantes, a agência foi fechada por falta de condições materiais e psicológicas dos trabalhadores, que ficaram abalados. O Sindicato, como sempre faz nestes casos, exigiu a emissão da CAT e colocou à disposição dos colegas o seu Departamento de Saúde para prestar o devido atendimento. “Não houve agressão física”, diz Gilnei, “mas há sempre o abalo psicológico”, completou.

Falência da Segurança estadual e recorde de ataques a bancos da década

O ataque à agência do Banrisul mantém a tendência de crescimento no volume de violência bancária no Estado. Este foi o 61º ataque a banco dos primeiros 77 dias do ano (até 17/3). Na comparação com os primeiros 77 dias do ano passado, o levantamento do SindBancários registrou crescimento de 19,6% de casos em relação ao mesmo período do ano passado. Os dados indicam também que 2016 já é o ano mais violento da década, superando o anos passado (com 51) e 2014 (com 50) em todo o RS (veja gráfico abaixo).

grafico_ataques_bancos_17032016

Para o presidente do Sindicato, Everton Gimenis, o acúmulo de ataques a agências bancárias no estado, nos últimos meses, reflete a precarização da segurança pública no governo de José Ivo Sartori. “O governador quer fazer ajuste de contas reduzindo o número de policiais nas ruas e sucateamento de equipamentos, além da falta de viaturas e, muitas vezes, até de papel para que os policiais registrem as ocorrências”, diz Gimenis. “Até que ponto ele vai manter esta posição?”, questionou o sindicalista.

https://www3.sindbancarios.org.br/wp-content/uploads/2016/03/17032016.pdf

 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER