Servidores estaduais ameaçam com greve contra parcelamento de salários

O indicativo de que o governo estadual planeja depositar no máximo R$ 1,8 mil amanhã, sexta-feira, 31, último dia útil do mês, provocou manifestações de centenas de servidores públicos do Estado nesta quinta-feira, em frente ao Centro Administrativo Fernando Ferrari (Caff), na Capital. Conforme divulgado anteriormente pela imprensa, o governo Sartori faria um complemento salarial de R$ 350 no dia 3 de agosto, outros R$ 1 mil no dia 13 e, para aqueles com salários maiores, o restante seria depositado apenas no dia 21.

“O que mais nos indigna é a forma leviana com que o governo trata o salário do servidor, que é um trabalhador como qualquer outro. Pagar a maior depois do dia 20 é como atrasar um mês de salário. Temos contas e os nossos credores não vão querer parcelar as nossas dívidas”, protestou o diretor do Sindicato dos Servidores da PGE, Cícero Correa.

Novas manifestações

Novas manifestações podem acontecer nesta sexta-feira, em acompanhamento ao anúncio oficial do Piratini sobre os salários. Caso se confirme o parcelamento, já está definida paralisação geral na próxima segunda-feira, 03 de agosto. Com gritos de “se parcelar, o Estado vai parar”, o discurso dos representantes indica forte possibilidade de greve geral, que deve ser discutida em assembleia unificada no dia 18 de agosto.

Fonte: Rádio Guaíba

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER