Senador preso com dinheiro na cueca é vice-líder do governo no Senado

Polícia Federal encontrou 70 mil em espécie na casa de Chico Rodrigues (DEM), sendo 30 mil dentro da cueca

Alguns dias depois de alardear que havia “acabado com a Operação Lava-Jato porque em meu governo não existe corrupção”, o presidente da República precisou engolir suas palavras, na última quarta-feira, 14/10: o vice-líder do seu Governo no Senado, Chico Rodrigues (DEM-RR), foi preso por agentes da Polícia Federal, em sua casa, em Roraima. Após minuciosa procura, os policiais encontraram cerca de R$ 30 mil escondidos junto ao corpo do parlamentar. Mais precisamente, dentro da cueca que a autoridade vestia – sendo que algumas notas estavam semi-enfiadas entre as nádegas do senador.

Dinheiro sujo

A parte traseira do corpo de Chico Rodrigues chamou a atenção dos policiais pelo volume que apresentava. No total, após busca na casa e no corpo do político, foram encontrados aproximadamente R$ 70 mil. Conforme a investigação, existem indícios de um esquema criminoso de verbas parlamentares que teriam sido usadas em contratações superfaturadas para o combate
à Covid-19 pela Secretaria Estadual de Roraima.

O senador é próximo da família Bolsonaro e no ano passado contratou como assessor especial o estudante de Administração Léo “Índio”, 36 anos, sobrinho do presidente da República e homem de confiança do vereador Carlos Bolsonaro, filho do presidente Jair. Mas o assessor não estava presente na hora da apreensão do líder governista no Senado.

O senador Chico Rodrigues garantiu que, apesar do episódio, tem uma “vida limpa”.

 

Fontes: Folha de S.Paulo, RGN, GauchaZH, com Edição de Imprensa SindBancários. Foto: Marcos Corrêa/Presidência da República.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER