Sartori quer usar Recesso Parlamentar da AL para votar adesão do estado ao Regime de Recuperação Fiscal do governo federal

Por baixo do pano, enquanto ainda vigora o Recesso Parlamentar da Assembleia Legislativa, o governo entreguista de José Ivo Sartori está agindo para votar em plenário a adesão do RS ao Regime de Recuperação Fiscal (RFF). A convocação extraordinária, para o período de 25 a 31 de janeiro, ocorre nesta quarta-feira e vai ser publicada nesta quinta, no Diário Oficial da Assembleia. As sessões devem ocorrer entre os dias 29 e 31. Sartori quer revogar a necessidade de plebiscito para a venda da Sulgás, CRM e CEEE.

Seguidos os prazos regimentais do Legislativo, as propostas da convocação extraordinária estariam aptas a serem votadas a partir de segunda-feira. Na pauta, estão o Projeto de Lei Complementar que dispõe sobre a adesão ao RFFl e três Propostas de Emenda à Constituição – revogando a necessidade de plebiscito para venda da Sulgás, da CRM e da CEEE.

A adesão ao tal regime prevê a suspensão do pagamento das parcelas da dívida com a União pelo prazo de até 36 meses, prorrogável pelo mesmo período. De acordo com a projeção da Secretaria da Fazenda, isso representaria um “alívio financeiro” de R$ 11,3 bilhões até 2020.

Falsa solução

Mas é uma falsa solução – simplesmente porque durante estes três anos os juros da dívida continuariam a crescer. E daqui a três terão virado uma imensa bola de neve. Quer dizer, a renegociação aumentará a dívida global do Estado, e ficaríamos sem nossas estatais que geram dividendos. Falando claro: um bom negócio só para incompetente administração de Sartori, mas um péssimo negócio para o RS e a população gaúcha.

Na verdade, Sartori só quer aliviar a carga de seu próprio governo, numa atitude irresponsável”, diz o presidente do SindBancários. “Além disso, usa a desculpa da dívida para vender importantes empresas públicas fundamentais ao desenvolvimento do estado – como a CEEE, ou o Banrisul, por exemplo – e entregar tudo a iniciativa privada, que só visa o lucro”, finaliza Everton Gimenis.

Fonte: Imprensa SindBancários com informações da Rádio Guaíba

 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER