“São Paulo em Hi-Fi” estreia no CineBancários

O CineBancários estreia o premiado documentário “São Paulo em Hi-Fi, com roteiro, produção e direção de Lufe Stefen, no dia 11 de agosto. O longa-metragem será exibido nas sessões das 15h e 19h, dividindo a sala de cinema com “Mãe Só Há Uma”, de Anna Muylaert, que ficará no horário das 17h.
Os ingressos podem ser adquiridos no local a R$10,00. Estudantes, idosos, pessoas com deficiência, bancários sindicalizados e jornalistas sindicalizados pagam R$5,00. Aceitamos os cartões Vale Cultura do Banrisul, Banricompras, Visa e Mastercard.

"São Paulo em Hi-Fi", de Lufe Stefen, estreia no dia 11 de agosto no CineBancários
“São Paulo em Hi-Fi”, de Lufe Stefen, estreia no dia 11 de agosto no CineBancários

SÃO PAULO EM HI-FI
Documentário histórico que resgata a era de ouro da noite gay paulistana, fazendo uma viagem pelas décadas de 1960, 70 e 80 – a bordo das lembranças de testemunhas do período, trazendo à tona as casas noturnas que marcaram época, as estrelas, as transformistas, os heróis, e até os vilões: a ditadura militar e a explosão da AIDS.
Ao longo das gravações, registradas em junho de 2013, a equipe entrevistou cerca de vinte pessoas, que revelaram suas memórias e experiências. O escritor João Silvério Trevisan, o jornalista Celso Curi – autor da pioneira “Coluna do Meio”, primeira coluna gay do jornalismo brasileiro, em 1976 –, o historiador norteamericano James Green e os jornalistas Leão Lobo e Mário Mendes, entre outros, dão seus depoimentos no filme.
A empresária Elisa Mascaro é outro destaque. Ao lado do marido, Fernando Simões, ela foi proprietária de três casas noturnas que marcaram o cenário gay da cidade: o K-7, o Medieval e a Corintho.
A transformista Miss Biá, que começou a carreira em 1960, a transexual Gretta Starr e a drag queen Kaká di Polly também comparecem com histórias pitorescas, emocionantes e inesquecíveis.
Ao longo das entrevistas, diversas casas noturnas e bares foram relembrados, como a boate Homo Sapiens (a famosa “HS”, onde hoje funciona a boate gay Bailão), a danceteria Off, o “inferninho” Val Improviso e os bares lésbicos Ferro’s Bar, Moustache e Feitiço’s. Além, naturalmente, da boate Nostro Mondo, inaugurada em 1971 e que durou 42 anos.
“São Paulo em Hi-Fi” foi exibido pela 1ª vez em novembro de 2013 no Festival Mix Brasil da Diversidade Sexual, em São Paulo. No fim de 2014, o projeto foi premiado pelo programa “Fomento ao Cinema Paulista” do ProAC – Governo do Estado de São Paulo, e recebeu apoio da Sabesp para ser finalizado. Assim, o filme ganhou nova mixagem de cor, de som, trilha sonora original, nova direção de arte e repaginação geral. Transformou-se num novo filme, a versão definitiva da obra – e é essa versão que finalmente estreia nos cinemas, em maio de 2016, pela 1ª vez em circuito.
O filme ganhou prêmios em festivais nacionais e e internacionais, como o melhor documentário eleito pelo público no 18º Festival de Cinema Queer Lisboa, em Portugal, e o Troféu Ida Feldman no 21º Festival Mix Brasil da Diversidade Sexual. O filme também foi exibido em festivais importantes como a 4ª edição do Close (Festival da Diversidade Sexual de Porto Alegre), o 6º In-Edit Brasil (Festival Internacional do Documentário Musical, em São Paulo) e o 28º Mix Milano Festival, em Milão na Itália.

LUFE STEFEN
Lufe Steffen é cineasta, roteirista, escritor e jornalista. “São Paulo em Hi-Fi” é o segundo longa-metragem dirigido por ele. O primeiro é “A Volta da Pauliceia Desvairada”, também documentário, rodado em 2012, focalizando a noite gay de São Paulo nos dias atuais.
Em 2016, lançou seu segundo livro: “O Cinema que Ousa Dizer Seu Nome” ( Editora Giostri ), coletânea de entrevistas com 24 cineastas brasileiros cujos filmes abordam o universo LGBT – entre eles, o autor entrevistou a si próprio.
Em 2008, ele havia lançado o livro “Tragam os Cavalos Dançantes”, pela Dynamite Produções. A obra é um livro-reportagem sobre os dez anos de existência da festa Grind, sediada na casa noturna paulistana A Lôca.
Como jornalista, atuou como repórter, redator e fotógrafo para veículos LGBT (site Mix Brasil, revista G Magazine, revista e site A Capa) e de cultura geral (sites Virgula e iG), além de apresentar programas de TV via internet, como “Boa Noite Bee” (2008), “Direto da Redação” (2011) e “Tricotando Lurex” (2014).

PRÊMIOS
Prêmio do Público: Melhor Documentário – 18º Queer Lisboa / Lisboa, Portugal
3º Prêmio Papo Mix da Diversidade – Categoria Cultura LGBT
Prêmio Câmara Municipal de São Paulo – Dia Municipal de Combate à Homofobia
Troféu Ida Feldman – 21º Festival Mix Brasil da Diversidade Sexual

FESTIVAIS
21º Festival Mix Brasil da Diversidade Sexual / São Paulo, SP / Rio de Janeiro,
RJ / 2013
4º Close – Festival da Diversidade Sexual / Porto Alegre, RS / 2013
6º In-Edit Brasil – Festival Internacional do Documentário Musical / São Paulo,
SP / 2014
3ª Sansex – Mostra de Cinema da Diversidade / Santos, SP / 2014
28º Mix Milano Festival / Milão, Itália / 2014
4º Rio Festival Gay de Cinema / Rio de Janeiro, RJ / 2014
18º Queer Lisboa / Lisboa, Portugal / 2014
7ª Mostra Possíveis Sexualidades / Salvador, BA / 2014
4ª Mostra Interiores de Cinema da Diversidade Sexual / Rio Preto, SP / 2014
2º Recifest / Recife, PE / 2014
14º For Rainbow / Fortaleza, CE / 2014

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO EM HI-FI
Brasil / Cor / Documentário / 2016 / 101 minutos
Roteiro, produção e direção: Lufe Steffen
Produção executiva: Taís Nardi
Direção de produção: Edu Lima
Direção de fotografia e câmera: Thaisa Oliveira
Som direto: Tomás Franco e Guilherme Assis
Montagem: José Motta e Lufe Steffen
Pordução: Cigano Filmes

GRADE DE HORÁRIOS
2 de agosto (terça-feira)
15h – Mãe Só Há Uma, de Anna Muylaert
17h – Mãe Só Há Uma, de Anna Muylaert
19h – Mãe Só Há Uma, de Anna Muylaert

3 de agosto (quarta-feira)
15h – Mãe Só Há Uma, de Anna Muylaert
17h – Mãe Só Há Uma, de Anna Muylaert
19h – Mãe Só Há Uma, de Anna Muylaert

4 de agosto (quinta-feira)
NÃO HAVERÁ SESSÕES

5 de agosto (sexta-feira)
15h – Mãe Só Há Uma, de Anna Muylaert
17h – Mãe Só Há Uma, de Anna Muylaert
19h – Mãe Só Há Uma, de Anna Muylaert

6 de agosto (sábado)
15h – Mãe Só Há Uma, de Anna Muylaert
17h – Mãe Só Há Uma, de Anna Muylaert
19h – Mãe Só Há Uma, de Anna Muylaert

7 de agosto (domingo)
15h – Mãe Só Há Uma, de Anna Muylaert
17h – Mãe Só Há Uma, de Anna Muylaert
19h – Mãe Só Há Uma, de Anna Muylaert

9 de agosto (terça-feira)
15h – Mãe Só Há Uma, de Anna Muylaert
17h – Mãe Só Há Uma, de Anna Muylaert
19h – Mãe Só Há Uma, de Anna Muylaert

10 de agosto (quarta-feira)
15h – Mãe Só Há Uma, de Anna Muylaert
17h – Mãe Só Há Uma, de Anna Muylaert
19h – Mãe Só Há Uma, de Anna Muylaert

11 de agosto (quinta-feira)
15h – São Paulo em Hi-Fi, de Lufe Stefen
17h – Mãe Só Há Uma, de Anna Muylaert
19h – São Paulo em Hi-Fi, de Lufe Stefen

12 de agosto (sexta-feira)
15h – São Paulo em Hi-Fi, de Lufe Stefen
17h – Mãe Só Há Uma, de Anna Muylaert
19h – São Paulo em Hi-Fi, de Lufe Stefen

13 de agosto (sábado)
15h – São Paulo em Hi-Fi, de Lufe Stefen
17h – Mãe Só Há Uma, de Anna Muylaert
19h – São Paulo em Hi-Fi, de Lufe Stefen

14 de agosto (domingo)
NÃO HAVERÁ SESSÕES

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER