Santander vence a Caixa na prorrogação e conquista Campeonato Bancário de Futebol de Campo 2015

Foi de encher os olhos. Numa final digna dos dois melhores times da competição, Santander e Caixa tiveram que jogar a prorrogação para ver quem levantaria a taça de campeão do Campeonato Bancário de Futebol de Campo 2015. Na manhã do sábado, 13/6, Santander e Caixa empataram em 2 a 2 no tempo normal, no gramado do campo da Sede Serraria do Banrisul. Na prorrogação, com um golaço, o Santander fez 3 a 2 e conquistou o título. A vitória garantiu aos campeões a participação na Copa Libertadores Bancária, em 2016.

Dizer que o jogo foi disputado, pegado é repetir o que os bancários sempre fazem nos campeonatos que o SindBancários apoia. Dizer que Caixa e Santander fizeram um jogo aberto em uma final de alta qualidade, isso sim, soa como o diferente nesta final. Nas decisões, os times ficam aguerridos, temem tomar gols. Não foi o caso da final de sábado.

Veja aqui fotos de lances do jogo, da festa dos campeões e da premiação dos destaques.

O Santander saiu na frente. Não por acaso. O time começou o jogo pressionando a Caixa. Marcação adiantada, no campo do adversário, e uma defesa sólida, impediam que a Caixa pudesse fazer o que mais gosta: tocar a bola, apostar nos deslocamentos dos meias e atacantes e envolver o adversário. O Santander precisava sufocar o futebol de aproximação dos colegas da Caixa. E conseguiu.

Aos 13 minutos do primeiro tempo, o Santander tramou pela esquerda e conseguiu uma falta. A cobrança veio forte e na primeira trave. O goleiro falhou ao tentar soquear para longe a bola. No rebote, Jonatas empurrou para as redes e fez a 1 a 0.

Mas a Caixa não se daria por vencida. Em nenhum momento, os colegas da Caixa se entregariam. A estratégia de reação foi apostar no que o time faz de melhor. No tic-tac da Caixa, a bola se ofereceu ao ataque pela esquerda. Uma trama com deslocamentos e troca de passes envolveu a defesa do Santander até sobrar livre na entrada da área pelo lado direito. Por ali entrava livre o atacante Richardson que dominou e tocou na saída do goleiro do Santander. Eram 17 minutos do primeiro tempo.

E o jogo voltaria a ficar pegado. O Santander tentava abrir as jogadas pelos lados, com trocas de passes em frente à área da Caixa. A Caixa procurava se defender, ficando com a bola e saindo em bloco em contra-ataques. Até que o primeiro tempo terminaria empatado em 1 a 1.

Segundo tempo

Na segunda etapa, os times voltaram a tentar impor seus estilos. Com as pernas mais pesadas dos jogadores, a Caixa chegou a construir uma vantagem de posse de bola por um período. O Santander mostrou que jogar em velocidade combinada com habilidade rende boas chances de gol e marcou aos 3 minutos. O goleiro do Santander puxou um rápido contra-ataque pela esquerda. A bola chegou para o atacante Rafael Tubino. Em grande jogada, o atacante se livrou de três adversários pela esquerda e tocou na entrada da área para Renan que entrava sozinho pelo outro lado. O atacante teve o trabalho de tocar na saída do goleiro do Santander e fazer 2 a 1.

Os jogadores da Caixa sentiram o gol, mas não desistiram. A todo momento, era possível ouvir os jogadores se motivando: “Não vamos baixar a cabeça”. E a jogada do gol de empate coroou a velocidade de um atacante aos 18 minutos da segunda etapa. O atacante Jeferson recém entrara em campo e nem havia tocado na bola quando um chutão de sua zaga em direção ao centro do campo contou com a ajuda do zagueiro do Santander.

O quique da bola enganou o defensor. Jeferson aproveitou, tomou a frente em velocidade e bateu. No primeiro momento, o goleiro defendeu, a bola voltou para o atacante para novo chute. Desta vez, a bola foi rolando lentamente até o gol. Estava empatado o jogo. De novo, o Campeonato Bancário seria decidido ou na prorrogação ou nos pênaltis.  Por pouco, o Santander não venceu o jogo no tempo normal. Victório erraria um pênalti, defendido pelo goleiro da Caixa, quando estava 2 a 2. O mesmo jogador daria o título ao Santander com um golaço no segundo tempo da prorrogação.

Golaço e alegria da torcida

O primeiro tempo da prorrogação foi nervoso. Os dois times procuravam vencer o cansaço e as marcações. Os primeiros dez minutos foram de chances esporádicas e de tentativas de ir ao ataque para conseguir o gol da vitória e do título. A torcida do Santander pressionava o árbitro, pressionava o adversário e empurrava o time para o ataque. Até que aos cinco minutos do segundo tempo da prorrogação, a jogada que deu origem ao golaço do meia Victório, que havia errado pênalti. De novo, a trama da jogada teve avanço com bola pela esquerda do ataque do Santander.

Final_Santander_x_Caixa_Credito_JacksonZanini391

Depois de uma troca de passes rente à linha lateral e de um perde e ganha com a defesa da Caixa, a bola sobrou para Victório. Próximo ao bico da área, ele desferiu um chute alto em direção ao gol adversário. A bola subiu e caiu atrás do goleiro no ângulo esquerdo, o oposto. Um golaço. Victório tirou a camisa, correu para torcida, subiu no alambrado e foi abraçado pelos companheiros. Na volta, recebeu cartão amarelo do árbitro Márcio Chagas da Silva. Era o gol do título.

Assista neste vídeo abaixo os gols, o pênalti perdido, a premiação e a festa da final do Campeonato Bancário de Futebol de Campo 2015.

Premiação e alto nível

A festa dos colegas do Santander começou com jogadores do time campeão correndo em direção ao goleiro. Seguiu com abraços e com uma homenagem ao técnico Ronaldo Brum, funcionário do Santander e diretor administrativo do SindBancários. Ronaldo foi jogado para cima pelos jogadores.

Rodrigo Miguel, do Santander, foi o goleiro menos vazado. O troféu de goleador foi dividido entre Rafael Tubino e Vitório, que marcaram cinco gols cada. Todos são do Santander. O capitão do Santander, Rodrigo, foi receber a taça de campeão e as medalhas. Pela Caixa, Diego, também capitão, recebeu o troféu de vice-campeão e as medalhas.

O presidente do SindBancários Everton Gimenis, contou, durante sua fala na solenidade de premiação, que acompanhou todos os jogos e que o Santander havia conquistado um título depois de muito tempo. Desde que o banco ianda era público e se chamava Meridional. “Quero dar os parabéns aos colegas do Santander. O título mostra que os nossos campeonatos estão muito equilibrados. A prova é que os dois times de melhor campanha na primeira fase, Banrisul e Bradesco, foram eliminados. Qualquer dos dois times finalistas poderia ter ficado com o título. A final foi um grande jogo, digno dos dois melhores times da competição”, disse Gimenis.

O diretor de Cultura, Esporte e Lazer do SindBancários, Tiago Vasconcellos Pedroso, agradeceu a parceria do Centro Gaúcho de Desportos Bancários (CGDB), que organizou o torneio, que teve o apoio do SindBancários. “Mais uma vez, a parceria do Sindicato com o CGDB mostrou-se fundamental para a organização desse torneio. Gostaria de agradecer também aos atletas pela dedicação, disciplina e pela qualidade”, acrescentou Tiago.

Arbitragem

A arbitragem da final do Campeonato Bancário de Futebol de Campo 2015 foi um capítulo a parte. Como acontece nos últimos campeonatos, o SindBancários investiu em um arbitragem profissional. Depois do apito de Fabrício Neves Correia, na final de 2013, as duas últimas decisões tiveram a arbitragem de Márcio Chagas da Silva. Márcio deixou a arbitragem profissional e hoje é comentarista da RBSTV. Na final, Márcio foi auxiliado por Rogério Camilo e Mário Rocha.

Final_Santander_x_Caixa_Credito_JacksonZanini009

Final, Sábado, 13/6
Santander 3×2 Caixa

Campeão: Santander

Vice-campeão: Caixa

Jogadores premiados

Goleadores: Victório e Rafael Tubino (Santander), com cinco gols cada.

Goleiro menos vazado: Rodrigo Miguel (Santander).

Crédito fotos: Jackson Zanini

Fonte: Imprensa SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER