Santander altera novamente funções dos Gerentes de Atendimento

Sindicato busca realocação e treinamento dos GAs para novas atribuições

O presidente do Santander, Sérgio Rial, informou que haverá novas alterações na função dos Gerentes de Atendimento (GAs). A declaração, feita na semana passada, no podcast “Café com Rial”, chegou de forma distorcida na rede de agências, gerando muita apreensão entre os trabalhadores.

Atualmente, o Santander vem implantando, em ao menos 50 agências de porte D do país, o modelo remoto de atividades que antes eram dos GAs. O novo cargo criado para atuar remotamente recebeu a nomenclatura de Analista de Processos, que passou a ter controle de jornada – uma reivindicação do movimento sindical.

Santander informa que cargo não será extinto “em um período próximo”

Não houve desligamento de Gerentes de Atendimento nessas 50 agências. Alguns foram remanejados para outros cargos, e algumas agências já não tinham GAs exclusivos. O modelo deve ser expandido gradualmente para as demais unidades.

O RH do Santander informou que não há previsão de extinção do cargo “em um período próximo”. O que existe, segundo o banco, é uma modificação nas funções e responsabilidades.

Este cargo sofreu alterações significativas nas suas funções desde 2017, seja por conta da automação, ou devido à revisão de processos internos do banco. Com essas mudanças, algumas atividades deixaram de ser responsabilidade deste cargo, e novas atribuições foram inseridas.

Santander mais uma vez busca lucro a qualquer custo

É fundamental que os colegas atingidos com as novas mudanças informem ao sindicato os problemas e as dificuldades decorrentes do novo modelo, sejam elas envolvendo treinamento, fluxo de trabalho ou metas. O SindBancários seguirá reivindicando a realocação dos GAs que possam ficar sem função, e também treinamento adequado para que exerçam as novas atribuições.

A mudança nas funções dos GAs do Santander é mais uma das tantas por que passa o mercado de trabalho no sistema financeiro. Quem faz a análise é Luiz Cassemiro, diretor do SindBancários e membro da Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Banco Santander. “O banco aplica este modelo de reestruturação sempre de olho na redução de custo para ampliar ainda mais seu lucro ganancioso. Cobramos que tenham cuidado nestas reestruturações; primeiramente, para preservar os empregos dos colegas; segundo, porque o cargo de GA tem como uma de suas funções o controle da excelência nos processos de formalização de operações, o que também é métrica para a remuneração variável dos colegas”, afirmou.

Cassemiro também reforçou o recado: gerentes administrativos do Santander que estiverem com problemas na realocação e relacionamento com o banco devem procurar o sindicato.

Com informações Bancários SP e SindBancários POA

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER