RH do Banrisul pratica política do medo nas movimentações

Banco privilegia o assediador e pune quem denuncia assédio

Há meses, o SindBancários vem recebendo denúncias de assédio moral por parte de colegas da Unidade Comercial de Governos da Direção Geral do Banrisul e tem buscado soluções junto ao RH do Banco. Porém, nada foi feito. E, pior, os denunciantes estão sendo punidos com transferência da Unidade.

Apesar das denúncias contra a gestão da Unidade, o RH promoveu a exclusão dos denunciantes, premiando o causador das tensões, e transferiu cinco colegas de uma única vez. “Por isso, as vítimas não se sentem acolhidas quando partem para as denúncias. Isso se confirma quando a instituição Banrisul, através de suas instâncias organizacionais, acolhe e acoberta gestores inábeis no trato com pessoas que desconhecem as atividades delegadas a eles”, afirma o diretor do SindBancários Gilnei Nunes, que acompanha a situação.

Segundo o dirigente, isso reflete nos resultados do Banco, que até pouco tempo geria 320 folhas de pagamento de municípios do Estado do Rio Grande do Sul. Nos últimos quatro anos, perdeu 70 destas folhas de pagamento. Embora o Banco alegue que o mercado é volátil, esse dado é preocupante. Aquela Unidade, inclusive, já foi responsável por um grande volume de negócios de consignados pessoa física do Banco e, além disso, a Margem de Contribuição (MC) dos servidores públicos municipais e estaduais também já foi mais significativa para a instituição bancária, segundo publicação do último balanço.

“Gestores inábeis no trato com pessoas proporcionam ambiente de trabalho insalubre e nocivo para os negócios da Empresa. Um bom gestor tem que ter a capacidade de prever situações e planejar a retenção e/ou a expansão dos negócios que afetam diretamente os resultados econômicos do Banrisul, e não ficar insistentemente perseguindo colegas”, destaca Nunes.

A secretária geral do SindBancários, Silvia Chaves, afirma que os colegas da Unidade já têm um longo tempo de experiência e vivência no relacionamento com os poderes públicos e suas esferas governamentais. “Lamentável que a área de RH vise apenas punir quem denuncia e não o denunciado, premiando-o com mais poder no Setor e removendo a parte mais frágil”, pontua.

Silvia também destaca que os casos de assédio no Banrisul estão ganhando visibilidade midiática. “Estamos recebendo uma quantidade grande de denúncias de assédio moral e também de falta de transparência no setor de RH. Em razão dos acontecimentos atuais que, inclusive, colocaram o Banrisul na mira da mídia, está mais do que na hora de rever a política de prevenção de todo tipo de assédio e do tratamento efetivo das denúncias”, reforça.

Imprensa SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER

Luciano Fetzner Barcellos
(Banrisul)
PRESIDENTE

Tags

Filiado à Fetrafi/RS, Contraf/CUT e CUT
Rua General Câmara, 424-Centro / CEP:90010-230 /
Fone: 51-34331200

Porto Alegre / Rio Grande do Sul / Brasil

Categorias

Categorias

Categorias