Realidade e ficção se misturam no longa “Bixa Travesty”

O longa sobre a artista Linn da Quebrada entra em cartaz no CineBancários no dia 28 de novembro, às 15h

Linn da Quebrada” é uma cantora, atriz e performer à procura da desconstrução de paradigmas e estereótipos. Dona de uma forte e ousada presença no palco, a artista é o foco do documentário “Bixa Travesty”, dirigido por Claudia Priscilla e Kiko Goifman, com produção do Canal Brasil e distribuição da Spcine e da Arteplex Filmes. O filme, que ganhou prêmios no mundo todo, entre eles o Teddy Award de Melhor Documentário no Festival de Berlim, a Melhor Direção no Festival de Cartagena, e o de Melhor Longa do Júri Popular e Melhor Trilha Sonora no Festival de Brasília, entra em cartaz no dia 28 de novembro na sessão das 15h no CineBancários.

Cena musical de SP

Nascida na periferia da Zona Leste paulistana, Linn é uma grande expoente da cena musical da cidade. No filme, ela trata de assuntos contemporâneos de uma forma original e usa o próprio corpo como arte. O longa vai além dos registros dos shows e bastidores deles: cenas em um estúdio de rádio, na própria casa e na de amigos, no hospital tratando um câncer, nas ruas e em banheiros revelam a personagem em registros íntimos e afetivos. Entre os que participam da produção estão a mãe de Linn, a amiga e parceira Jup do Bairro, Liniker e As Bahias e a Cozinha Mineira.

A dupla de diretores convidou a artista para estar criativamente ativa no projeto e juntos assinam o roteiro de BIXA TRAVESTY. “Achamos importante que ela pudesse decidir como seria ‘retratada’ numa narrativa fílmica. Juntos desenvolvemos um roteiro que atravessa as bordas do cinema documental, utilizando elementos ficcionais para o filme. Além disso, criamos uma dinâmica que estimulava uma produção contínua de ideias ao longo das filmagens”, contam os diretores.

Difícil definir ou delimitar a militância de Linn: ela é um corpo que confronta padrões conservadores da sociedade. Sua forma de atuação política é peculiar: o humor ácido é sua principal ferramenta. “Esse lugar que eu tô, essa invenção, é o lugar que eu chamo de ‘bixa travesti’. É uma travesti, é feminino, mas também tem um lugar de bixa, que não é uma mulher. É um lugar de bixa travesti”, define Linn.

 

Bixa Travesty – Brasil, 2018. 75 min. Documentário. 18 anos.

Direção Claudia Priscilla e Kiko Goifman

Roteiro Linn da Quebrada, Kiko Goifman e Claudia Priscilla

Produção Evelyn Mab

Direção de fotografia Karla da Costa

Assistente de fotografia Thaís Robaina

Som direto Tomás Franco

Montagem Olívia Brenga

Produtora Válvula Produções

Coprodução Canal Brasil

Elenco

Linn da Quebrada, Jup do Bairro, Liniker, Raquel Virginia, Assucena Assucena, Thiago Felix, Nu Abe, Lilian dos Anjos, Nicole Afonso Rueda, John Halles, Slim Soledad

Sinopse

Documentário de longa-metragem com a cantora e atriz Linn da Quebrada. Grande expoente na cena musical de São Paulo, dona de uma forte e ousada presença no palco, busca constantemente discutir e quebrar paradigmas e estereótipos.

Os diretores

Claudia Priscila é diretora, roteirista e produtora. Mora em São Paulo. Jornalista de formação, iniciou sua carreira na área cinematográfica realizando curtas-metragens. Seu primeiro longa foi o documentário Leite e Ferro (Melhor Documentário e Melhor Direção de Documentário no Festival de Paulínia e Grande Prêmio na Mostra Femina). Dirigiu, com Pedro Marques, o longa documentário A Destruição de Bernardet (Melhor Direção e Melhor Atuação – Mix Brasil). Em parceria com Kiko Goifman, dirigiu o longa Olhe Pra Mim de Novo (Prêmio Especial do Júri – Festival do Rio, Melhor Documentário de Público – Mix Brasil). O foco de seu trabalho como diretora é a discussão de gênero. Dirigiu a serie Transando com Laerte, veiculada no Canal Brasil.

Kiko Goifman é diretor, roteirista e produtor cultural. Dirigiu os longas-metragens de ficção Periscópio e  FilmeFobia (Grande Vencedor do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, 2008). Entre os documentários destacam-se 33 (vencedor do prêmio de Melhor Roteiro da FIESP/2004) e  Atos dos Homens (Premiado no 3 Continents Film Festival de Nantes, como Melhor Documentário).  É também de sua direção os média-metragens Morte Densa e Handerson e as Horas (Selecionados para o Locarno Internacional Film Festival). Além disso, Kiko Goifman dirigiu as séries Hiperreal, Estilhaços e Temporal veiculada pelo SESCTV e a série TransMissão,  para o Canal Brasil. Kiko já recebeu retrospectivas em Festivais em diversos países, como o Festival Latino Americano de Toulouse 2005 (França), Tampere’s Festival (Finlândia/2006) e Festival Luso Brasileiro de Santa Maria da Feira 2005 (Portugal).

Prêmios

Melhor Documentário – Teddy Awards – Festival de Berlim / Alemanha
Melhor Direção – Festival de Cartagena / Colômbia
Prêmio Gio Stajano – Lovers Film Festival Torino / Italia

Premio de Inovação – Inside Out Festival Toronto / Canada
Melhor Filme e Premio da Audiência – Mostra La Ploma Valencia / Espanha
Premio da Audiência – Mostra Fire Barcelona / Espanha
Menção Especial do Juri – DocumentaMadrid / Espanha
Menção Especial do Juri – MIX Milano / Italy
Melhor Documentário – GAZE LGBT IFF / Ireland
Prêmio da Audência – Melhor Doc – Festival de Brasília
Melhor Trilha Sonora – Festival de Brasília
Melhor Momento do Festival de Brasília 2018 – Prêmio Saruê (Jornal Correio Braziliense)
Melhor Documentário – Biarritz LatAm FF
Melhor Documentário – Luststreifen Film Festival – Basel
Menção Especial – NewFest LGBTQ FF – USA
Melhor Documentário (Young Film Critics) – Gender Bender Festival – Itália
Menção Jurado – FrontDoc – Itália
Melhor Documentário (Premio Audiência) – Mix Brasil
Melhor Documentário – Cheries-Cheries Paris LGBT FF
Melhor Documentário – Merlinka FF (Sérvia) 

Site: www.arteplexfilmes.com.br

Facebook: https://www.facebook.com/arteplexfilmes/

Instagram: @arteplexfilmes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER