“Que vergonha, Bradesco!”. Bancários protestam no Twitter contra demissões no banco

Segundo maior banco privado do país explora funcionários, fecha agências e dispensa bancários

Às 11h desta terça-feira, 23,bancários em todo o país deflagram mais uma campanha no Twitter com a hashtag #QueVergonhaBradesco. Os funcionários e sindicatos protestam contra o fechamento de agências e demissões realizadas pelo banco em plena pandemia da Covid-19, além da pressão e assédio moral por metas abusivas que têm adoecido um grande número de trabalhadores. A falta de segurança nas novas unidades de negócios – que não possuem sequer porta giratória – também é um item da campanha dos empregados do segundo maior banco privado do Brasil.

Mobilização é fundamental

“É importante que todos os funcionários mobilizem seus familiares  e amigos para denunciarmos à sociedade a exploração do Bradesco, que bate recordes de lucro e, mesmo assim, não respeita os funcionários e os clientes”, afirma o diretor do Sindicato dos Bancários do RJ, Leuver Luddolf, que é também represente da COE (Comissão de Organização dos Empregados).

Trimestre: lucro extraordinário

O Bradesco lucrou R$6,648 bilhões no terceiro trimestre de 2021, um extraordinário crescimento de 58,5% em relação ao mesmo período do ano passado (R$4,194 bi), em plena recessão econômica do país, causada pela pandemia e pela política econômica desastrosa do ministro da Economia Paulo Guedes.

“Só os bancos ganham dinheiro neste país. Quem produz e quem trabalha paga pela crise enquanto banqueiros e especuladores ganham rios de dinheiro”, critica Leuver.

Fontes: SindBancarios-RJ, com Edição de Imprensa SindBancários PoA e Região. Foto:

 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER