Pressão dos bancários faz HSBC suspender demissões durante negociação

Em reunião ocorrida no final da tarde desta quinta-feira, 13/11, com a Contraf-CUT, os sindicatos dos bancários de Curitiba e São Paulo e a Federação dos Bancários de São Paulo e São Paulo e Mato Grosso do Sul, a direção do HSBC suspendeu as demissões de funcionários enquanto durarem as negociações. A reunião continua às 11h desta sexta-feira, 14/11, na capital paulista.

 O diálogo foi agendado pelo banco depois do envio de um ofício da Contraf-CUT e após as paralisações de centros administrativos e agências do banco inglês em Curitiba, São Paulo e várias cidades do Brasil e da audiência de mediação promovida pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) do Paraná.

 Os representantes do banco afirmaram para os dirigentes sindicais que não existe intenção de cortar 20% do quadro de funcionários, nem substituir bancários por terceirizados. Eles também negaram os boatos de que o HSBC cogita deixar o Brasil, ressaltando que a matriz do banco fez recentemente uma capitalização de R$ 1 bilhão na filial brasileira, demonstrando o interesse de permanecer operando no país.

 “A nossa proposta é que o banco suspenda e reverta as demissões ocorridas. O caminho para o HSBC crescer no Brasil passa pelo fortalecimento do emprego, pela valorização dos funcionários e pela melhoria do atendimento aos clientes”, destaca Miguel Pereira, secretário de Organização do Ramo Financeiro da Contraf-CUT e funcionário do banco.

 “Esperamos que as negociações avancem nesta sexta para que os bancários do HSBC possam voltar a trabalhar sem o medo de novas dispensas e com melhores condições de trabalho”, destaca Alan Patrício, secretário de Assuntos Jurídicos da Contraf-CUT e também funcionário do banco.

 Na quinta-feira, 14/11, colegas do HSBC de todo o país paralisaram as atividades para pressionar o banco a suspender as demissões. Na base do SindBancários, duas agências permaneceram paralisadas durante todo o dia. (leia aqui).

 Fonte: Contraf-CUT

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER