Polícia é acionada para coibir paralisação do SindBancários no Banrisul da Lomba do Pinheiro

Agência permanecerá fechada ao longo de toda a quarta-feira devido a denúncias de assédio

Diretores do SindBancários foram recebidos pela Brigada Militar, na manhã desta quarta-feira (20), durante ação sindical contra o assédio moral, praticado contra os(as) trabalhadores(as) do Banrisul da Lomba do Pinheiro, em Porto Alegre.

Após reiteradas denúncias de cobranças abusivas e desrespeito contra trabalhadores da unidade por parte da gerência, o Sindicato decidiu fechar, mais uma vez, a agência. A iniciativa busca chamar a atenção da superintendência do banco para os abusos cometidos reiteradamente no local e que vêm provocando o adoecimento dos(as) funcionários(as).

Conforme os relatos, a gerente da Lomba vem praticando uma política de medo. As denúncias de assédio moral dão conta de pressões, manipulação psicológica e situações de desrespeito ao quadro de funcionários(as).

No último dia 7 de julho, o sindicato esteve na agência tentando dialogar com a gerente sobre as denúncias, porém, a direção não foi recebida na ocasião e nenhum avanço foi constatado pelos banrisulenses quanto às práticas nocivas ao ambiente de trabalho. Desta vez, o descaso configura também prática antissindical, uma vez que a polícia foi acionada para frear o ato de desagravo do movimento dos trabalhadores organizados.

Para a 2ª secretária-geral do SindBancários, Sílvia Chaves, enquanto o adoecimento de colegas banrisulenses ocasionado pelo assédio não for encarado com seriedade por parte da superintendência do banco, o sindicato permanecerá realizando ações de denúncia, fechando unidades e organizando paralisações.

Da outra vez que o sindicato esteve na agência, aponta Sílvia, “fechamos a unidade por um turno, apenas para dar o recado de que algo precisava mudar. No entanto, nenhuma mudança efetiva foi constatada, pelo contrário; recebemos notícias de que a gerência debocha dos(as) colegas e do sindicado, dizendo que não tem medo de ser cobrada por suas atitudes”. Por isso mesmo, explica a diretora, “resolvemos paralisar a agência o dia inteiro e seguiremos fazendo isso até que alguma atitude seja tomada por parte do banco. Se tivermos de fechar o Banrisul da Lomba do Pinheiro novamente, nós o faremos. Assédio não pode ser normalizado, institucionalizado “, protestou Sílvia.

Veja o vídeo 

A direção da Fetrafi-RS já comunicou a superintendência regional do banco (Sureg) quanto ao ocorrido e o movimento sindical deve se reunir com diretores do Banrisul para buscar um desfecho para o caso.

“ Mais uma vez, a gerente e o gerente adjunto da agência mostram truculência e indiferença quanto a necessidade de diálogo com o movimento sindical. Há denúncias não apenas de trabalhadores, mas também de clientes e até de comerciantes do entorno da região. Não vamos tolerar que esse tipo de comportamento opressivo siga sendo praticado contra os nossos colegas. Os trabalhadores bancários merecem mais respeito”, avalia Fábio Dallanhese, diretor da Fetrafi-RS.

O Sindicato dos Bancários de Porto Alegre e Região reitera que o uso de força policial, mesmo com o intuito de apenas intimidar, configura prática antissindical e portanto fere o artigo 8º da Constituição Federal brasileira de 1988, que assegura a livre organização dos trabalhadores.

 

Texto de Marcus Perez | Fonte: Imprensa SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER