Polícia Civil desencadeia operação estadual contra assaltantes de bancos

Chefe da quadrilha organizava ataques de dentro da Pasc, em Charqueadas. Dez prisões já foram realizadas nesta manhã

Ao amanhecer desta quinta-feira, 23/07, a Polícia Civil deu início a Operação Paraí, de combate aos assaltantes de bancos no Rio Grande do Sul. A 1ª Delegacia de Polícia de Repressão a Roubos, do Departamento Estadual de Investigações Criminais (DEIC), está cumprindo 23 medidas de natureza probatória e restritivas de liberdade, além de assecuratórias, como o bloqueio de ativos em contas bancárias. A ação acontece nas cidades de Guaporé, Paraí, Serafina Corrêa e Charqueadas.

As ordens judiciais incluem 13 mandados de busca e apreensão, oito prisões preventivas e duas prisões temporárias. Cinco criminosos já haviam  sido detidos nesta manhã. Muitas das ações eram comandadas pelo líder de uma quadrilha que já se encontrava preso, na Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (Pasc).

Paraí: sete mortos

Um dos ataques investigados pela equipe do delegado João Paulo de Abreu, ocorreu no dia 6 de março deste ano em Paraí. Os criminosos haviam instalados explosivos em agências do Banco do Brasil e do Sicredi para efetuar a detonação dos caixas eletrônicos. A Brigada Militar antecipou-se à ação da quadrilha e entrou em ação, ocorrendo confrontos no local que resultaram em sete bandidos mortos. Armamento pesado e explosivos foram apreendidos na ocasião.

Nas investigações, a 1ª Delegacia de Polícia de Repressão a Roubos identificou que o líder da quadrilha e organizador do ataque era um detento recolhido na Pasc. Por telefone celular dentro da cela, o apenado planejou a ação, recrutou os indivíduos, ordenou o que cada um deveria fazer, deu ordens inclusive quanto à data do ataque e indicou um familiar como seu representante externo, além de ter financiado todo o plano, como por exemplo a compra de armas.

Sítio e armamentos

Entre os alvos da operação policial nesta quinta-feira está um familiar do líder da quadrilha. Uma moradora da cidade de Paraí também é investigada. Ela emprestou um sítio para os criminosos e atuou no planejamento da ação, repassando informações sobre movimentação de carro-forte, vigilantes e policiamento militar no município.

Apoio logístico

Os policiais civis identificaram ainda os responsáveis pelo transporte dos bandidos e das armas, pelo levantamento prévio das agências bancárias atacadas, pela logística de fuga, por ficar encarregado do armazenamento e manutenção de armamentos, munições, explosivos e demais equipamentos utilizados. Um dos indivíduos era inclusive o dono de um Ford Focus, de cor prata, usado no ataque. Já um outro envolvido cedeu um sítio em Serafina Corrêa ao bando, tendo levado alimentos e cobertores. Umaoutra mulher tinha ainda a função de auxiliar no resgate, prestar apoio logístico e participar do planejamento do ataque.

Fontes: Radio Guaíba Notícias, Gaúcha ZH e Polícia Civil/RS, com edição de Imprensa SindBancários. Fotos: Polícia Civil/Divulgação

 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER