Olhos de criança desvendam lenda em livro infantil

Assessor jurídico do SindBancários, o advogado Antônio Vicente Martins, lançou “O Muro da Casa Amarela”, livro infantil de memórias que refaz a trajetória de uma lenda sobre o goleiro Eurico Lara do Grêmio há quase um século

Assim que a pandemia do novo coronavírus se abateu sobre o mundo, o advogado Antônio Vicente Martins tirou um “projeto da gaveta”, como ele mesmo refere. Não estamos falando de uma ação coletiva para resgatar direitos dos trabalhadores bancários que os bancos deixam de cumprir, mas de um livro infantil.

Ora, como um homem já feito em idade, pai de três mulheres adultas, tem a ver com um livro que se chama “O Muro da Casa Amarela”? Tudo. Primeiro, Vicente Martins tem a coragem de resgatar memórias de sua infância em sua casa, na rua Álvaro Alvim, Caminho do Meio, em Porto Alegre, em tempos que a história anda esquecida.

A segunda coragem é procurar refazer o percurso de uma lenda urbana que envolveu o nome de outra lenda: o goleiro Eurico Lara, craque gremista que jogou de 1920 a 1935 no tricolor gaúcho.

O muro amarelo é uma referência para as crianças da Álvaro Alvim que habitam o imaginário do escritor Antônio Vicente Martins e faz parte de sua história pessoal. Era ali que amigos de infância se juntavam para resenhas. Se hoje temos o celular, os aplicativos de conversas, as redes sociais, Vicente Martins e sua geração de amigos de infância tinham o muro amarelo.

O livro é resultado de uma oficina literária que Vicente Martins fez com o escritor Luis Augusto Fischer há algum tempo. “É um livro que eu tinha escrito numa oficina. O Fischer (Luis Augusto) me perguntou por que eu não transformava em um livro infantil”.

Como referido um pouco mais acima, Vicente Martins tirou o livro da gaveta nos começos da pandemia. Foi apresentado à editora Clô Barcellos, da Libretos, que leu e disse que também via um livro infantil. Daí, para a conversa com o ilustrador e chargista Moa Guterres foi uma questão de tempo e de os dois serem apresentados um ao outro.

Vicente Martins conta que Moa, da mesma geração que ele, fez um trabalho sensível, preciso. Foi até o endereço onde ficava o muro amarelo da casa das reminiscências do autor e subiu um drone. Fotografou e registrou imagens. A imagem da capa, as ilustrações são desenhos de referências reais, da história que o livro conta, uma “silhueta da Álvaro Alvim”, como diz o autor do livro.

A lenda boleira que apareceu no muro amarelo

A ideia aqui não é dar spoilers para preservar a experiência pessoal de cada um com o livro. Mas isso é meio que impossível quando se trata do gremistão Antônio Vicente Martins. Chamar de gremistão é diminuir o fervor de Vicente Martins pelo clube do coração. Ele chegou a ser vice de futebol do Grêmio e torna memorável uma história justamente de uma lenda gremista.

Nos tempos do muro amarelo, lá pelas décadas de 1960 e 1970, circulou entre os meninos da Álvaro Alvim uma história prodigiosa, de superação, de amor a um clube de futebol. Eurico Lara disputara, quase 40 anos antes, um Gre-Nal histórico.

Era o dia 22 de setembro de 1935. O jogo marcava os 100 anos do início da Revolução Farroupilha (1835-1845). Não por acaso, o Gre-Nal se chamava “Gre-Nal Farroupilha”.

“O livro conta a história de um espaço onde algumas crianças se encontravam e de uma história que elas contavam neste espaço. E fala de futebol. Conta uma lenda do futebol que eu ouvia quando era criança. Ouvi isso em algum lugar. Procurei escrever com os olhos da criança que eu tinha à época”, resumiu Vicente Martins.

A lenda dizia que, no Gre-Nal Farroupilha, o goleiro Eurico Lara defendera um pênalti de um chute forte, com os dois braços encaixando a bola no peito. Pegou o pênalti e teria caído morto.

Os fatos não foram bem assim como literalmente reza a lenda. Lara jogou esse Gre-Nal, não se sabe se pegou um pênalti e Grêmio venceu por 2 a 1. “Ele [Lara] sai do jogo e vai direto para o hospital. Ele era tuberculoso e morre alguns meses depois”, conta Vicente Martins.

O autor conta que se trata de um Gre-Nal muito famoso que provocou um pacto entre os jogadores gremistas que o disputaram e venceram. “É um Gre-Nal famoso no Grêmio. Os jogadores, no vestiário, depois do jogo, se comprometeram a comemorar a vitória por 100 anos. Todo o ano desde então tem um evento no Grêmio, em setembro, que é o ‘Jantar Farroupilha’. Agora, os netos dos jogadores participam”, descreveu Vicente Martins.

Autor reflete sobre o mundo em que as crianças vivem

Pai de três mulheres adultas, Antônio Vicente Martins fez um resgate da história das crianças de seu tempo para uma reflexão sobre a vida das crianças de agora. Ele tinha o muro amarelo para as resenhas, mais liberdade, é certo, um direito de andar pelas ruas que a geração de crianças atual perdeu.

Se o muro amarelo do autor era visto de fora e servia de referência para a contação de histórias, os muros passaram a cercar as crianças e as suas histórias.

De fato, há a escola, o condomínio e o clube, como o autor refere, uma certa maior dificuldade de socializar-se, digamos, mas o pensamento mágico da criança está preservado na visão de Vicente Martins.

“As crianças têm conexões que se estabelecem. Criam amizades, trocam histórias ainda hoje. Fazem relatos, com os olhos, entre elas. Acho que isso acontece mesmo hoje quando as crianças têm menos liberdade, mas ainda têm os movimentos de convivência muito particulares, sejam virtuais ou presenciais”, compara.

O livro foi lançado em 6 de novembro durante a 66ª Feira do Livro de Porto Alegre, na Sala da Libretos, por videconferência. Mediado pela jornalista e editora da Libretos Clô Barcellos, o lançamento teve também a participação do ilustrador Moa Guterres.

A data de lançamento, só mais tarde o autor se deu conta, é o mesmo dia em que o goleiro Eurico Lara morrera em 1935. A segunda coincidência: 2020 marca os cem anos da chegada de Eurico Lara ao Grêmio, vindo do time do Exército de Uruguaiana, onde era reconhecido como o goleiro que, quando jogava, seu time sempre ganhava.

Como comprar o livro “O Muro da Casa Amarela”

www.libretos.com.br

whatsapp: (51) 993 554456

[email protected]

instagram: @libretoseditora

facebook: facebook.com/libretoseditora

Fone: (51) 3233-3804

Assista aqui a íntegra do vídeo do lançamento do livro na Feira do Livro de Porto Alegre

Fonte: Imprensa SindBancários

 

 

 

 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER