Obras provocam caos, espantam clientes e Banrisul tenta manter agência de Viamão aberta. SindBancários conseguiu fechamento

A política de redução de custos com fechamento de caixas e de cancelamento de concurso público, como os Banrisulenses já sabem, tem repercutido nas agências bancárias sob a forma de precarização do atendimento e aumento das filas. Mas, quando essa política de desmonte afeta os serviços por conta de obras que tornam impossível a permanência de clientes e bancários dentro de uma agência, não há outra maneira de proteger trabalhadores do que fechar a agência. Foi o que ocorreu, na manhã desta segunda-feira, 10/8, na agência do Banrisul de Viamão.

Desde a sexta-feira, 7/8, clientes entram em contato com o SindBancários para denunciar caos em agência por conta de obras de reforma. Fios da rede elétrica soltos por todo o lado. Agência sem condicionadores de ar para amenizar o calorão deste agosto atípico. Peças e equipamentos espalhados por toda a agência. Um cheiro forte de produtos químicos que impedem que bancários e clientes pudessem, até  mesmo, negociar produtos e serviços do banco. “É uma vergonha para o Banrisul os clientes denunciarem ao Sindicato que uma agência está destruída com poeira, restos de obras, andaimes por toda a parte. Não tem a menor condição de trabalho”, avaliou o diretor do SindBancários, Jorge Lucas.

Mesmo com todo este caos, o banco mandou a agência abrir. “Não havia condições de trabalho. Estivemos na agência na sexta-feira, 7/8, para verificar as condições. Entramos em contato com o setor de engenharia do banco que se comprometeu a instalar circuladores de ar e amenizar as dificuldades nesta segunda. Quando chegamos na manhã desta segunda,verificamos que foram instalados seis ventiladores. A situação piorou”, detalhou o secretário-geral do SindBancários e funcionário do Banrisul, Luciano Fetzner.

Veja aqui as imagens do caos na agência de Viamão.

Os ventiladores não somente eram insuficientes como pioraram as condições de trabalho. O vento levantava a poeira de demolição da obra. Não havia a menor condição de trabalho. Não teve outro jeito. Os dirigentes do Sindicato exigiram a presença da engenharia. A agência foi fechada e os colegas foram dispensados. “O banco parece não aprender uma regra básica. Funcionário em um ambiente de trabalho decente rende mais. O banco perde duas vezes. Perde negócios e pode perder colegas afastados por doença por te inalado algum produto químico”, disse o diretor do SindBancários e funcionário do Banrisul, Fábio Dallanhese.

O banco se comprometeu em realizar a limpeza até esta terça-feira, 11/8. Os dirigentes do Sindicato voltarão para verificar se a agência estará em condições. O Sindicato avisa que essas obras devem ser feitas quando os trabalhadores e clientes não estiverem nas agências. Tem que fazer no fim de semana. “Os colegas bancários vivem debaixo de mau tempo para cumprir metas e atender os clientes. As agência lotadas e a menor quantidade de trabalhadores geram filas e estresse. E quando tem obras, os colegas podem ficar doentes e afastados. O banco poderia ter a sensibilidade de fechar a agência até as obras ficarem prontas”, avaliou o diretor de Saúde do Sindicato, Eduardo Munhos.

Uma agência com obras impede negócios. Se ficar fechada, não vai mudar nada. “Um absurdo o que aconteceu. O banco providenciou máscaras para os Banrisulenses. Não adianta pressionar por metas, porque essa agência poderia ficar aberta que não haveria condições de realizar negócios como podemos constatar conversando com clientes”, avaliou a diretora de comunicação do SindBancários, Ana Guimaraens.

Fonte: Imprensa SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER