Negociações do Badesul avançam positivamente na última rodada

Mais uma rodada de negociação com o Badesul aconteceu nesta quinta-feira, dia 11, desta vez, aprofundando temas como auxílio-creche, auxílio escolar, vale-transporte e teletrabalho, com a presença de representantes da diretoria e delegados sindicais.

Entre as reivindicações dos funcionários do Badesul está a ampliação do auxílio-creche e do auxílio escolar, este para custeio de despesas com educação com filhos(as) entre 6 e 17 anos. O Badesul solicitou ao SindBancários pareceres sobre a admissão de notas emitidas em nome do cônjuge ou do responsável pelo filho/dependente e sobre a questão tributária que envolvem os benefícios.

Outro tema abordado na mesa foi o custeio do plano de saúde pela Caixa de Assistência dos Empregados do Banco do Estado do Rio Grande do Sul (Cabergs). O banco de fomento afirmou ter dificuldade de avançar na pauta, ainda mais por envolver a Cabergs na discussão.

A representação do Badesul apresentou ao Sindicato a demanda de incluir no ACT uma parametrização quanto à abrangência territorial do vale-transporte de uso intermunicipal, que vá além das regras previstas em lei. A agência pretende com isso delimitar regras claras que possam inclusive se estender ao caso de empregados em regime de trabalho híbrido. Os sindicalistas ficaram de analisar o tema para retorno posterior.

Teletrabalho

Quanto às diretrizes do teletrabalho, o Badesul pediu mais explicações e ficou de dar retorno sobre a demanda de suspensão da Resolução 570. Os sindicalistas reforçaram o pedido de suspensão tendo em vista que na mesa de negociação nacional o tema do teletrabalho tem grandes chances de evoluir, materializando assim um guarda-chuva que pode facilitar as discussões específicas desse tema em cada instituição financeira.

O Sindicato sugeriu o clausulamento de uma negociação posterior à assinatura da CCT, com prazo definido, para a construção de acordo específico de teletrabalho que se adapte tanto às necessidades da agência de fomento quanto às reivindicações dos trabalhadores. Com isso, a expectativa do sindicato é que se consiga encontrar pontos de convergência entre a proposta apresentada pela entidade em 2021 e a resolução publicada recentemente pelo Badesul.

Sobre os temas ponto eletrônico e banco de horas, também abordados ao longo da mesa de negociação, ficou sinalizado por ambas as partes um aprofundamento posterior da discussão. A representação sindical sugeriu um prazo para desenvolvimento de sistema de ponto eletrônico que impossibilite acesso ao sistema fora da jornada, bem como que o Badesul elabore e apresente para negociação de acordo específico uma modelagem de banco de horas que se adeque às necessidades da empresa.

Ainda na reunião, o SindBancários formalizou uma proposta de regulamentação da figura do delegado sindical para o Badesul.

O Sindicato ficou de enviar pareceres solicitados na mesa, bem como a proposta de redação da minuta do ACT, que serão discutidas na próxima reunião, agendada para a próxima sexta-feira (19), às 10h. Nessa oportunidade, o Badesul trará retorno sobre a proposta de reposicionamento do quadro de funcionários na matriz salarial, no âmbito das negociações do Acordo Coletivo de Trabalho 2022/2024, aprovada em assembleia no início do mês.

Para o assessor jurídico do SindBancários, João Rosito, todas as preocupações jurídicas do Badesul são legítimas, “mas acreditamos que será possível adequar uma redação de acordo que possibilite a adesão do Badesul às demandas suscitadas pelos trabalhadores da instituição”.

“Sentimos que as negociações estão evoluindo bem e temos a perspectiva de desfecho positivo no processo de negociação com o Badesul”, avaliou o presidente do SindBancários, Luciano Fetzner.

Imprensa SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER