Negociações com o Banrisul avançam mas proposta ainda é insuficiente

Debate continua nesta quinta, 25/8, e Banrisulenses vestem preto novamente nesta sexta, 26/8

O Banrisul veio para a mesa desta quarta-feira, 24, na Fetrafi-RS, com a afirmação de que pretende renovar o Acordo Coletivo de Trabalho até 31 de agosto, um concurso com mais vagas e uma proposta que não havia trazido no dia anterior: de gratificação para os Operadores de Negócios. Entretanto, esta foi considerada insuficiente pelo Comando Nacional dos Banrisulenses.

O índice de aumento apresentado pelo Banrisul para a gratificação dos ONs foi de 12,5%. Está dentro desse percentual o que for aprovado na negociação para renovação da CCT com a Fenaban. O cálculo toma como base a inflação (INPC) acumulada em 12 meses. Na data de hoje é de 10,12%, mas a estimativa é que ao final de agosto feche em algo em torno de 8,88%.

A proposta inicial dos Banrisulenses era de uma gratificação fixa mensal de R$ 1.335,00, tendo como parâmetro a gratificação de quebra de caixa. Entretanto, o valor oferecido pelo Banco traz um incremento bem abaixo do reivindicado. Por isso, ainda na noite de ontem, o Comando se reuniu e decidiu rejeitar a proposta e retomar a negociação sobre o assunto nesta quinta-feira, 25/8.

Tentativa de retirada de direitos
Mais uma vez o Banco tentou inserir cláusulas no Acordo Coletivo de Trabalho para forçar a quitação de ações judiciais interpostas pelos sindicatos, quanto às 7ª e 8ª horas, o que foi rejeitado pelos representantes dos empregados do Banrisul. O Banco também apresentou uma redação para a cláusula 10, que faz referência à cláusula 11 da Convenção Coletiva de Trabalho da categoria, o que está sob análise da assessoria jurídica da Fetrafi-RS.

PDV e concurso
Um avanço da negociação foi o compromisso do Banco em realizar o concurso público com 824 vagas, mais o número de empregados que aderirem ao PDV, já anunciado em Fato Relevante. O limite de vagas do concurso, porém, será de 1,4 mil. “Vamos clausular isso e definir como será a redação para garantir que a saída dos colegas com o PDV se dê apenas após a entrada dos concursados”, explica a diretora da Fetrafi-RS Raquel Gil de Oliveira.

Sobre o PDV, os representantes dos trabalhadores irão propor o aumento dos percentuais apresentados pelo Banco. Porém, os negociadores foram taxativos em dizer que o Banco não abre mão da quitação.

O que andou
O Banrisul aprovou ter um representante da CIPA em agências com 40 funcionários ou mais (antes o mínimo era de 50 funcionários) e sinalizou que pretende renovar o Acordo Coletivo de Trabalho. Isso deve ocorrer nos próximos dias após a discussão sobre a valorização dos ONs, que é uma das prioridades da campanha. “Vamos buscar um aumento maior na gratificação dos ONs, mas essa discussão permanecerá nas próximas campanhas, continuaremos lutando pela valorização dos colegas”, reforçou a diretora da Fetrafi-RS Ana Maria Betim Furquim.

Na sexta-feira, 26, o movimento sindical fará um Dia de Preto, em mobilização pela manutenção dos direitos da categoria e como um recado ao Banrisul de que não aceitará retrocessos. Toda a categoria está convocada a participar, usando preto no trabalho e se manifestando nas redes sociais.

Comando cobra democratização na gestão da Cabergs e ampliação de profissionais credenciados na área de psicologia e psiquiatria

A negociação com o Banrisul seguiu nesta quarta-feira, 24, com o debate sobre a gestão da Cabergs. Dirigentes do Comando dos Banrisulenses estiveram reunidos, na sede da Cabergs, no centro de Porto Alegre, com os diretores da operadora do plano de saúde e com representante do Banrisul. Durante a mesa, os dirigentes cobraram um processo de democratização da Caixa de Assistência, que garanta eleição direta entre todos os empregados/as de, no mínimo, um diretor. Neste ponto, não houve avanço, porém a Cabergs se comprometeu a promover um estudo de viabilidade em até seis meses.

Outro ponto levantado foi o descredenciamento de médicos, clínicas e laboratórios no interior do Estado. Os dirigentes sindicais relataram preocupação com o tema, principalmente com relação ao crescimento de casos de colegas com adoecimento mental que necessitam atendimento psicológico e psiquiátrico. Há relatos que colegas estão pagando atendimento por fora, devido à falta de profissionais atendendo pelo plano. A diretoria da Cabergs informou que está trabalhando para viabilizar atendimento remoto nas áreas de psicologia e psiquiatria e também a inclusão do serviço de psicologia no Plano PAMES (Plano de Assistência Médico-Hospitalar Especial).

Texto: Aline Adolphs e Araldo Neto/Verdeperto Comunicação/Fetrafi-RS

Fotos: Manoela Frade/ SindBancários POA e Região e Araldo Neto/Verdeperto Comunicação

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER