Movimento sindical exige revogação da medida que pune empregados da Caixa

A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf/CUT) e a Comissão Executiva dos Empregados (CEE/Caixa) repudiaram a decisão da Caixa Econômica Federal de descontar horas dos trabalhadores que, na última sexta-feira, 27 de fevereiro, paralisaram parcialmente suas atividades. Naquela data, foi realizado o Dia Nacional de Luta em Defesa da Caixa 100% Pública, ocasião em que houve retardamento de abertura de algumas agências.

A determinação de desconto foi comunicada por meio da CE DEPES/SUSEC 036/2015, enviada na própria sexta-feira aos gestores do banco. Nos ofícios enviados nesta terça-feira (3) a Sebastião Martins Andrade, superintendente nacional de Serviços Compartilhados de Gestão de Pessoas, e Márcia Guimarães Guedes, diretora executiva de Gestão de Pessoas, a Contraf/CUT e a CEE/Caixa exigem a imediata revogação da medida.

“É inadmissível essa postura da direção da empresa. Afinal, os empregados usaram esse tempo para defender a Caixa. No caso, contra qualquer tentativa de abertura de capital. A campanha está mobilizando os mais de 100 mil trabalhadores e conta com o apoio da sociedade. Esperamos que a direção da Caixa reveja essa posição intransigente”, afirma Fabiana Matheus. E ela avisa: “Não recuaremos da luta pela manutenção do banco 100% público”.

Fonte: Fenae

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER