Moradores de ocupações ‘abraçam’ prédio da Lanceiros Negros após truculência da BM

Em protesto à truculência da Brigada Militar em ação realizada na manhã desta quarta-feira, 16/12, em frente à Assembleia Legislativa, moradores de ocupações e apoiadores marcharam do local até a ocupação Lanceiros Negros, na rua General Câmara. O ato em apoio às famílias que vivem ali foi concretizado através de um “abraço” ao prédio. Os moradores estão ameaçados de despejo do imóvel pertencente ao governo estadual, que pediu a reintegração de posse, atualmente suspensa pela Justiça até que o poder público forneça uma alternativa para as famílias.

Além da violência ocorrida nesta manhã, segundo a coordenadora do Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB) Nana Sanches, há intimidação constante por parte da Brigada Militar na ocupação Lanceiros Negros. “Dia sim, dia não, eles passam com viaturas na frente do prédio, tentando nos coagir, acordando e assustando crianças”, contou.

O ato foi em resposta a essas atitudes e ao ocorrido mais cedo, quando três jovens — um deles morador da Lanceiros — foram abordados por policiais na Praça da Matriz durante a audiência. Ao serem confrontados por participantes da reunião, os policiais responderam com truculência, atingindo com spray de pimenta e cassetetes parlamentares, advogados e moradores de ocupações.

Um dos moradores da Ocuoação contou, durante o abraço, que o ex-presidente do SindBancários, Antonio Sanzi, havia socorrido três jovens detidos pela Brigada Militar  na Praça da Matriz. Sanzi também foi detido e, por volta das 17h desta quarta-feira, 16/12, realizava exame de corpo de delito depois de ter sido liberado.

Fonte: Sul 21, com edição de Imprensa SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER