Mateada dos Banrisulenses na Redenção em Porto Alegre mobiliza para lançamento de Frente Parlamentar na ALRS na quarta, 22/3

Se na Assembleia Nacional dos Banrisulenses, do sábado, 18/3, na sede da Fetrafi-RS, os bancários e bancárias do banco público dos gaúchos lotaram o Multipalco, o campo de luta contra a privatização do Banrisul na manhã deste domingo, 19/3, foi o Parque Farroupilha (Redenção), em Porto Alegre. Junto ao Monumento ao Expedicionário, bancários da base, dirigentes sindicais e simpatizantes da causa, participaram da Mateada em Defesa do Banrisul Público. Durante boa parte da manhã e à tarde deste domingo, a tarefa foi mobilizar a sociedade gaúcha e esclarecer sobre o perigo que representa para o desenvolvimento econômico e social do Estado a privatização do Banrisul.

Por isso os participantes da Mateada distribuíram panfletos, conversaram com frequentadores da Redenção e do Brique e convidaram todos a participarem, na próxima quarta-feira, no auditório Dante Barone, da Assembleia Legislativa, do Ato de Instalação da Frente Parlamentar em Defesa do Banrisul Público, a partir das 18h (leia ao final desta matéria a agenda de mobilização). Trata-se de uma esfera pública para debater, dentro do parlamento gaúcho e em todo o Estado, saídas para a crise fiscal do Estado sem que haja necessidade de vender o patrimônio público, como o Banrisul, a CEEE, a Sulgás, a CRM e a Corsan.

“O governo Sartori está lançando uma cortina de fumaça atrás da outra. Uma hora diz que vai vender o Banrisul. Logo em seguida fala que nunca pensou nisso. Nós sabemos que ele veio para vender e está pressionado pelo governo Temer. Depois que conseguimos 10 assinaturas para a Frente Parlamentar da base do governador, ele passou a dizer que vai federalizar o Banco. Federalizar é entregar para o Temer vender”, disse o presidente do SindBancários, Everton Gimenis, durante a Mateada deste domingo.

A Frente Parlamentar em Defesa do Banrisul Público já acumulou 24 das 19 assinaturas necessárias para se estruturar na Assembleia Legislativa, e precisa de mais. Isso porque o governo do Estado tenta reunir 33 votos para derrubar a obrigatoriedade de plebiscito para a venda do Banrisul, disposto no artigo 22 da Constituição Estadual, que obriga a convocação de plebiscito. A Frente Parlamentar foi proposta e é presidida pelo deputado estadual Zé Nunes (PT).

O diretor da Fetrafi-RS, funcionário do Banrisul e integrante do Grupo de Trabalho da Frente Parlamentar, Sérgio Hoff, exaltou a importância da participação dos Banrisulenses no ato da quarta-feira, 22/3, na Assembleia Legislativa, e em toda a programação a partir desta segunda-feira. “O Banrisul corre grande perigo. Não estão em jogo somente os nossos empregos, mas o papel social e econômico que o Banrisul desempenha para o desenvolvimento do povo gaúcho desde que foi fundado por Getúlio Vargas em 1928. Precisamos lotar o auditório Dante Barone para fazer frente à onda privatista e ao discurso de crise do governador”, salientou Sérgio.

O gerente geral (GG) da Agência São João de Porto Alegre e vice-presidente da Associação dos Comissionados do Banrisul de Porto Alegre e Região Metropolitana (Ascopa), Mauro Vinicius Silva, também participou da mateada. “A partir da segunda-feira (20/3) vamos intensificar ainda mais as ações de convocação aos colegas do Banrisul para participar do evento na Assembleia Legislativa. Estamos vivendo um momento decisivo da história do Banrisul público. Estamos lutando contra interesses de grandes empresas com capacidade muito grande de mobilizar a sociedade gaúcha e convencê-la de que vender o Banrisul é o melhor caminho para as finanças do estado. Quem trabalha diariamente no banco dos gaúchos sabe da importância que é manter o Banrisul como patrimônio dos gaúchos”, ponderou Mauro.

O secretário de comunicação da CUT-RS, Ademir Wiederkehr, participante da Mateada, lembrou que a defesa do Banrisul significa defender também as fundações públicas e as outras empresas públicas ameaçadas de privatização. “Servidores públicos da CEEE, da Corsan, da Sulgás, da CRM também estão contemplados na luta dos banrisulenses. O governo do Estado tem compromissso com uma agenda neoliberal de estado mínimo e vai usar todos os recursos disponíveis para entregar o patrimônio público”, acrescentou.

 

Agenda de mobilização

Segunda-feira, 20/3

Caravanas por agências do Banrisul na Região Metropolitana e em todo o Estado para mobilização à participação no Ato de Instalação da Frente Parlamentar em Defesa do Banrisul Público na Assembleia Legislativa, na quarta-feira, 22/3.

Quarta-feira, 22/3

11h: Concentração na Praça da Alfândega, em frente à Agência Central do Banrisul, no Centro Histórico de Porto Alegre, para participação em Concentração do SindBancários para o Ato de Lançamento da Frente Parlamentar em Defesa do Banrisul Público na Assembleia Legislativa.

13h: Transmissão ao vivo do programa Esfera Pública, da Rádio Guaíba, com participação dos jornalistas Juremir Machado da Silva e Taline Optiz, na Praça da Alfândega em frente à Agência Central do Banrisul.

16h: Início do credenciamento no Auditório Dante Barone, da Assembleia Legislativa, para o Ato de Instalação da Frente Parlamentar em Defesa do Banrisul Público.

18h: Início do Ato de Instalação da Frente Parlamentar em Defesa do Banrisul Público no Auditório Dante Barone da Assembleia Legislativa.

Fonte: Imprensa SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER