Março registra um ataque a banco a cada um dia e 10 horas no Rio Grande do Sul em 23 dias

 

Uma agência bancária do Bradesco na Avenida Carlos Gomes, em Porto Alegre, teve o cofre arrombado na madrugada desta segunda-feira, 23/3. Conforme a Brigada Militar (BM), criminosos tiveram acesso ao cofre do Bradesco próximo à Avenida Lajeado e fugiram levando uma quantia em dinheiro não divulgada. Ninguém foi preso. Com este ataque, já são 16 investidas de criminosos contra bancos no Rio Grande do Sul nos 23 dias de março, um ataque a cada 34horas e 30 minutos. Quer dizer, a cada um dia e dez horas e meia, ocorreu uma ação no Rio Grande do Sul tendo agências bancárias como alvo.

 

“Estamos preocupados com esta onda de ataques a bancos que vem desde o carnaval. Tivemos nove ataques de criminosos a agências bancárias no feriado de carnaval. E em março com uma regularidade de violência que assusta. Precisamos de mais investimentos dos bancos em segurança. Os colegas bancários estão com muito medo. A cada arrombamento fica mais evidente que faltam investimentos em equipamentos de segurança e mais fiscalização. Há vulnerabilidades que precisam ser corrigidas”, analisa o presidente do SindBancários, Everton Gimenis.

 

Os casos de arrombamento lideram os ataques a bancos no Estado em março. Os arrombamentos de caixas eletrônicos responderam por mais da metade das ocorrências. Os criminosos usaram explosivos, maçarico ou pé-de-cabra nove vezes ou em 56,2% dos casos. Deve-se somar mais dois casos de arrombamento de cofre de agências para chegarmos a 11 ocorrências de arrombamento no Estado, perfazendo 68,7% de todos os casos. Os outros ataques a bancos foram cinco tentativas de arrombamento e dois assaltos. Dos 16 ataques a bancos de maio, dois ocorreram em Porto Alegre e  os 14 restantes no Interior do Estado.

 

Vulnerabilidades

 

O volume de arrombamentos do mês de março expõe a vulnerabilidade das agências bancárias. Os casos demonstram que os criminosos têm tido facilidade de entrar nas agências, seja perfurando paredes, seja invadindo pela porta da frente. “Nós, dirigentes sindicais temos que chamar a atenção para essas vulnerabilidades. Como todo o respeito, mas parece que está muito fácil para os criminosos quebrarem uma parede, que é algo que demora e exige perícia técnica, e chegar até o cofre das agências. Quanto aos explosivos, o caso é ainda mais grave. Como, durante a madrugada, os ladrões colocam explosivos sem que ninguém veja?”, questiona Everton Gimenis.

 

O Sindicato alerta há muito tempo para o risco de uma tragédia. As agências bancárias não raro ficam localizadas nos andares térreos de edifícios residenciais. O temor é que haja uma explosão que afete as estruturas do prédio e deixe a vida de moradores em risco.

 

O crime foi percebido somente nesta manhã, quando, pouco depois das 8h, um funcionário chegou para trabalhar na agência. Ao constatar o arrombamento, ele acionou a BM.

 

Informações preliminares dão conta de que os bandidos teriam conseguido destravar a porta giratória da agência e acessado a área administrativa do Bradesco — onde, segundo um funcionário, reviraram e quebraram materiais de trabalho.
Estatística do medo


Março 2015

  1. Dia 1º: Banco do Brasil (Barão). Arrombamento de caixa eletrônico com explosivo.
  2. Dia 1º: Banrisul (Barão). Arrombamento de 2 caixas eletrônicos com explosivo.
  3. Dia 1º: Banco não informaodo (Eldorado do Sul). Tentativa de arrombamento,
  4. Dia 5. Sicredi (Picada Café). Arrombamento de caixa eletrônico com pé de cabra.
  5. Dia 5. Banrisul (Picada Café). Arrombamento de caixa eletrônico com pé de cabra.
  6. Dia 6. Banco do Brasil (Guaíba). Arrombamento de caixa eletrônico com maçarico.
  7. Dia 6. Banco do Brasil (Jaguarão). Assalto à mão armada, fuga e prisão de suspeitos.
  8. Dia 6. Banrisul (Riozinho). Assalto à mão armada com reféns bancários e clientes.
  9. Dia 8. Banco do Brasil (Santo Antônio da Patrulha). Tentativa de arrombamento com prisão.
  10. Dia 8. Banco do Brasil (Ivoti). Tentativa de arrombamento com prisão de dois suspeitos.
  11. Dia 8. Banco do Brasil (Planalto). Arrombamento de caixa eletrônico com maçarico.
  12. Dia 9. Sicredi (PoA – Assis Brasil). Arrombamento de cofre por buraco na parede e furto de dinheiro.
  13. Dia 10. Banco do Brasil (Fortaleza dos Valos). Tentativa de arrombamento, tiroteio com a PM e fuga.
  14. Dia 12: Banco do Brasil (Esteio). Tentativa de arrombamento.
  15. Dia 14: Santander (Arroio Grande). Arrombamento de caixa eletrônico.
  16. Dia 23: Bradesco (Porto Alegre). Arrombamento do cofre agência na Carlos Gomes.

 

Fonte: Imprensa SindBancários, com ZH

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER