Manobra de Sartori para pagar 13º salário prejudica imagem e funcionamento do Banrisul às vésperas do Natal

Em mais uma clara manobra do privatista José Ivo Sartori para atingir e fragilizar a imagem do Banrisul, a base de apoio governista na Assembleia Legislativa conseguiu aprovar na terça-feira, dia 19/12, o pagamento do 13º salário do funcionalismo estadual via empréstimo bancário. Ao definir esta medida de afogadilho, a poucos dias das festas de Natal e Ano Novo, o governo de Sartori prejudicou o trabalho dos Banrisulenses, que já na manhã de quarta-feira tiveram que abrir mais cedo as agências para dar conta da demanda do funcionalismo.

Além de terem que trabalhar por mais duas horas além do horário normal, na quarta, quinta, 21, e nesta sexta-feira, 22/12, o acúmulo inesperado de clientes em busca do empréstimo de última hora gerou oscilações no sistema, formação de filas e queixas dos usuários. “Ao definir esta medida em cima do joelho, o desgoverno de Sartori criou um grande problema operacional, pois o dia 20 de dezembro é não só o dia de pagamento normal do 13° do funcionalismo mas também do 13º dos empregados do setor privado”, lembrou o secretário-geral e Banrisulense Luciano Fetzner.

Intenção privatista

Da maneira como foi feita, a iniciativa termina por ser mais um ataque à imagem do Banrisul e de seus trabalhadores, e favorece a intenção privatista do governo Sartori e do governo federal do ilegítimo Michel Temer. Uma articulação que pretende também vender, no RS, o Badesul e o BRDE, apesar da importância fundamental dos bancos públicos para no desenvolvimento do estado. Tudo isso para entrar num Regime de Recuperação Fiscal lesivo para os gaúchos. Serve também para atacar a imagem do banco e favorecer a venda de ações que fragiliza o controle do Estado e prepara o Banrisul para a venda.

Foto: Rádio Gaúcha

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER