Lucro do Banrisul cresce 28,2%. Mesmo assim, tem gente querendo privatizar

Ganho recorde foi de R$ 1,34 bilhões, com banco atuando apenas em nicho específico: o extremo sul

O Banrisul anunciou nesta terça-feira, 11, que fechou o ano de 2019 com lucro líquido de R$ 1,34 bilhão, aumento de 28,2% na comparação com 2018. De acordo com o balanço do banco, o resultado foi gerado pelo crescimento das receitas de tarifas bancárias, relativa estabilidade das despesas administrativas ajustadas, redução da margem financeira e menor fluxo de despesas de provisão para créditos de liquidação duvidosa.

O banco também foi beneficiado pela redução de impostos sobre o lucro a partir da extinção da Lei 13.169/2015, que instituía 5% de alíquota adicional da Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido (CSLL) até o final de 2018.

Durante o anúncio, o presidente do Banrisul, Claudio Coutinho, destacou a estratégia de focar em operações dentro do Rio Grande do Sul. Contraditoriamente, para 2020, Coutinho afirma que vai buscar a redução de despesas e a maior eficiência operacional. Nesse sentido, está sendo feita uma avaliação de agências que podem ser fechadas e fundidas com outras.

“Enquanto muita gente que quer a privatização do Banrisul diz que os bancos digitais e as fintechs vão derrubar os ganhos do banco, o que vemos é o lucro aumentar e bater, mais uma vez, um recorde. Pior ainda é ouvir o presidente do banco afirmar que vai focar na redução de despesas e fechamento da agências. Sendo um banco público, com um papel social, o Banrisul precisa priorizar um atendimento cada vez melhor à população e um ambiente melhor de trabalho aos seus funcionários, que são os principais responsáveis por esse lucro, e não cobrarem metas inatingíveis que os funcionários indivudalmente não alcançam, mas o banco sim”, afirma o banrisulenses e diretor de Comunicação do SindBancários, Gilnei Nunes.

O balanço informa ainda que o patrimônio líquido do Banrisul atingiu R$ 7,8 bilhões em dezembro de 2019, 7,1% ou R$ 515,5 milhões acima da posição de dezembro de 2018. Os ativos totais apresentaram saldo de R$ 81,5 bilhões em dezembro de 2019, com incremento de 5,3% em relação a dezembro de 2018, proveniente do aumento nos depósitos e nos recursos em letras. Em dezembro de 2019, o total de recursos captados e administrados era de R$ 72 bilhões, com expansão de 6,3% em 12 meses.

O resultado também é influenciado pela expansão da rede credenciada Vero, que fechou 2019 em 145,3 mil estabelecimentos, 4,7% a mais do que no encerramento de 2018. Pela Vero, foram registradas 333,8 milhões de transações com cartões de débito e crédito em 2019, um volume financeiro transacionado que totalizou R$ 29,5 bilhões, expansão de 10,5%.

Da mesma forma, a base de cartões de crédito do Banrisul nas bandeiras Mastercard e Visa alcançou 1,2 milhão de cartões no final de dezembro de 2019, o que representa crescimento de 13,1% em relação ao mesmo mês de 2018. Em 2019, os cartões de crédito emitidos pelo Banrisul possibilitaram a movimentação financeira de R$ 6,5 bilhões em 79 milhões de transações, que representam incremento de 22% e 23%, respectivamente.

Fonte: Sul 21 e Jornal do Comercio, com imprensa/SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER