Longa brasileiro ‘A mesma parte de um homem’ estreia no CineBancários dia 21 de abril

Filme dirigido por Ana Johann, com Clarissa Kiste e Irandhir Santos no elenco, entra em cartaz na segunda semana após reabertura da sala

Depois de reabrir em 14 de abril com o filme “Medida Provisória”, com todas sessões lotadas, o CineBancários apresenta “A Mesma Parte de um Homem”, primeiro longa-metragem de ficção da diretora brasileira Ana Johann. Com Clarissa Kiste e Irandhir Santos no elenco, o longa entra em cartaz nesta quinta-feira (21), na sessão das 17h, dividindo a programação da semana com “Medida Provisória”, de Lázaro Ramos.

Na trama, Renata (Clarissa Kiste) é uma mulher de quarenta anos que vive na vila rural com seu marido e uma filha adolescente. Inicialmente, ela concebe o medo como um sentimento corriqueiro, mas ao passar por algumas situações, começa a encontrar o desejo e a pulsação da vida. A história e as personagens têm muito da experiência pessoal da diretora Ana Johann, que viveu até os 14 anos em uma vila rural no interior do Paraná. “‘A Mesma Parte De Um Homem’ é sobre pessoas que cruzaram o meu caminho, memórias da minha infância, mas, ao mesmo tempo, transvestidas em outros corpos, em outras histórias, já que como contadora de histórias eu posso simular mundos e possibilidades (…) Penso que existem muitos filmes no mundo e o mais importante e honesto é eu escrever sobre o meu universo que foi inicialmente rural e que continua sendo muito forte em mim. Eu saí deste lugar, mas estas pessoas estão de certa forma impregnadas em mim”, explica a diretora.

Um dos fios condutores da história é a busca da protagonista pela liberdade de decidir sua própria vida. Com esse olhar, a presença feminina se consolida tanto na narrativa como na formação da equipe de produção, por isso a maior parte dos profissionais da equipe são mulheres. A questão de papeis sociais pré-determinados pela questão de gênero também se faz presente na narrativa “O filme também fala de papeis construídos pela sociedade do que é ser homem, do que é ser mulher e eu enquanto roteirista posso sacudi-los”, complementa a diretora.

PROGRAMAÇÃO

21 a 27 de abril

15h – Medida Provisória

17h – A mesma parte de um homem

19h – Medida Provisória

*Não há sessões nas segundas-feiras

Ingressos

Os ingressos podem ser adquiridos a R$ 12,00 na bilheteria do CineBancários. Idosos (as), estudantes, bancários (as), jornalistas sindicalizados (as), portadores de ID Jovem e pessoas com deficiência pagam R$ 6,00. São aceitos cartões nas bandeiras Banricompras, Visa, MasterCard e Elo.

As sessões serão realizadas com todas as medidas preventivas e protocolos sanitários recomendados pela Organização Mundial de Saúde (OMS), como limitação da ocupação da sala, uso obrigatório de máscara, higienização do espaço após o término de cada filme e disponibilização de álcool gel na recepção do cinema. Antes das sessões será exigida a apresentação de comprovante de vacinação contra Covid.

Mais informações pelo telefone (51) 3030.9405 ou pelo e-mail [email protected]org.br

A mesma parte de um homem

Ficha Técnica:

2021 | Drama | 100 min.
Direção: Ana Johan, Elenco Principal: Clarissa Kiste, Irandhir Santos, Laís Cristina, Otávio Linhares, Zeca Cenovicz; Roteiro: Ana Johann e Alana Rodrigues; Direção de fotografia: Hellen Braga; Direção de arte: Fabiola Bonofiglio; Figurino: Isabella Fonseca; Produção: Grafo Audiovisual; Distribuidora: Olhar Distribuição

Sinopse: Renata vive isolada no interior com sua filha adolescente e seu marido, compreendendo o medo como um sentimento comum. A chegada de um desconhecido desperta nela o desejo por tudo o que estava adormecido.

Medida Provisória

Ficha Técnica:

Brasil, Ficção, 101 min., 2020
Direção: Lázaro Ramos
Produção: Lereby Produções e Lata Filmes
Coprodução: Globo Filmes
Elenco: Alfred Enoch, Taís Araujo, Seu Jorge, Adriana Esteves, Renata Sorrah, Mariana Xavier, Flavio Bauraqui, Emicida. Participação especial de Emicida
Direção musical de Rincon Sapiência
Selecionado para SXSW 2020

Sinopse: Em um futuro próximo distópico no Brasil, um governo autoritário ordena que todos os cidadãos afrodescendentes se mudem para a África – criando caos, protestos e um movimento de resistência clandestino que inspira a nação.

Texto: Imprensa SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER