Livro de crônicas, letras e partituras de Raull Ellwanger já está na Biblioteca do SindBancários

Quem gosta de música e de literatura, tem uma nova opção na Biblioteca do SindBancários, através do livro “Nas velas do violão”, que em suas 250 páginas reúne crônicas e textos de memória, assim como as letras, partituras e cifras de 71 canções de Raul Ellwanger. O cantor e compositor gaúcho, gravado por astros da dimensão de Mercedes Sosa, Pablo Milanes, León Gieco, Tarragô Ros, Elis Regina (foto abaixo), Beth Carvalho, Borghetinho, Jerônimo Jardim, na semana passada fez a doação de seu livro para o Sindicato. “Ali eu recordo os momentos e em que circunstâncias foram compostas ou gravadas as minhas músicas, tanto no Brasil quanto em meu período de exílio, entre 1970 e 77, quando morei no Chile e Argentina”, relata ele.

Exílio

Considerando o ano de 1966, quando cursava o 1º ano de Direito na PUC-RS e participou de um festival universitário, Raul Ellwanger conta mais de 50 anos de carreira musical. “Já em 1968, na época dos grandes festivais da canção no Rio e em São Paulo, tive três músicas classificadas e gravadas”, informa. “Por outro lado, nesta época eu era estudante e trabalhava num escritório de advocacia e já colaborava na defesa de presos políticos”, complementa. Seu envolvimento no movimento de resistência à Ditadura Militar terminou por podar a continuação de sua carreira artística no Brasil, naquele momento.

Pousada

Quando voltou ao país, no final dos anos 70, andou por São Paulo e Rio, mas terminou regressando a sua Porto Alegre natal. Porém, como bom frequentador do litoral catarinense, optou por se radicar por um bom tempo na Praia do Rosa, em Imbituba, onde abriu uma pousada, hoje administrada por seu filho.

“Mas estou sempre participando de causas sociais, políticas, das lutas pelos direitos humanos e dos trabalhadores”, reforça o artista. Engajado no enfrentamento ao governo ilegítimo de Michel Temer e contra o arrocho salarial dos servidores estaduais sob a administração de Sartori, Raul Ellwanger relembra: “Cantei no Uruguai (foto abaixo), Argentina, mas a primeira vez em que me apresentei num ato político eu não me esqueço: foi num Sete de Setembro em Santiago do Chile, onde eu e outros brasileiros vivíamos exilados por causa da Ditadura”. Hoje, entre outras causas importantes, o músico se coloca na defesa do Banrisul e de demais estatais gaúchas ameaçadas pela privatização.

Mais populares

Sobre “Nas velas da canção”, o músico diz que o nome do livro já revela um pouco de seu objetivo: “Foi uma maneira de me fazer refletir sobre a canção, a canção popular brasileira, que é uma das quatro ou cinco mais belas e sofisticadas do mundo”, afirma. Raul já tem na ponta da língua a lista de suas músicas mais populares: “Pealo de sangue”, “Eu só peço a Deus” (versão de uma canção de León Gieco), “Cigana tirana”, “Praia do Rosa” e “Te procuro lá” – esta com letra do poeta Ferreira Gullar, que em determinado período também esteve exilado na Argentina.

Feliz por disponibilizar seu livro para a categoria bancária através da Biblioteca do SindBancários, Raul Ellwanger informa ainda onde pode ser adquirida a obra em Porto Alegre. “Está a venda nas livrarias Bamboletras e Pau Marinca e no Café Fon Fon”, diz. “Ou através do meu e-mail: [email protected]”, arremata o artista.

 

Foto de abertura: Anselmo Cunha. As demais, arquivo pessoal de Raul Ellwanger.

 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER