Itaú: trabalhadores cobram explicações do banco por demissão de afastados

Banco está demitindo muitos trabalhadores que retornam ao seu local de trabalho após prazo de estabilidade

O movimento sindical foi surpreendido com dezenas de demissões que estão ocorrendo no Itaú por todo o Brasil. Depois da regulamentação do Programa de Revisão de Benefícios por Incapacidade, também conhecida como “Operação Pente-fino”, nos benefícios pagos pelo Instituto Nacional de Seguro Social (INSS), diversos trabalhadores afastados tiveram que voltar ao seu local de trabalho.

Depois de passar o prazo de estabilidade, o banco tem demitido esses trabalhadores. “Nós fomos pegos de surpresa. Queremos saber qual o motivo da demissão unilateral em massa. Alguns trabalhadores acreditavam que iriam voltar ao trabalho. Outros nem têm essa condição. Todos estão sendo demitidos, sem nenhum critério pré-avisado”, denunciou Jair Alves, coordenador nacional da Comissão de Organização Empresa (COE) do Itaú.

Assinatura

Uma bancária demitida, que não quis se identificar, exemplifica o que está acontecendo: “Pensei que fosse voltar ao trabalho, mas, quando cheguei lá, era para assinar minha demissão, não assinei. Acreditei que seria realocada”, relata.

Fonte: Contraf-CUT, com edição da Imprensa SindBancários

 

 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER