IPO da #CaixaSeguridade – o conglomerado Caixa sob ataque

Leia artigo da diretora do SindBancários e empregada da Caixa, Caroline Heidner, sobre os ataques a Caixa pública executado pelo governo Bolosnaro

IPO da #CaixaSeguridade – o conglomerado Caixa sob ataque

Caroline Heidner*

Um IPO (Initial Public Offering) é a estreia de uma companhia na Bolsa de Valores. A Caixa Seguridade Participações S.A é uma das subsidiárias da Caixa que estão sob ataque do governo Bolsonaro-Guedes, que quer abrir seu capital.

Trata-se de um ataque à Caixa 100% pública.

A venda das subsidiárias é parte de um processo de desestabilização da Caixa, que verá sua sustentabilidade financeira comprometida a cada ação vendida das suas empresas controladas.

Ontem, 12 de agosto [quarta-feira], foi publicado novo Fato Relevante ao mercado, informando que a Caixa protocolou na CVM o pedido de retomada do registro da oferta pública de ações da Caixa Seguridade e que protocolou, também, na B3 S.A. os pedidos de retomada de admissão e de listagem da Caixa Seguridade no segmento de negociação denominado Novo Mercado, considerando a realização da Oferta.

A Caixa Seguridade é um filé daqueles pro mercado! É o 3º maior grupo segurador do Brasil. Detém market share de quase 12%.

Teve Lucro Líquido recorrente de R$ 807,9 milhões no primeiro semestre deste ano. É um aumento de 5,2% em relação ao mesmo período de 2019.

E isso em plena pandemia! Se por um lado a crise econômica causada pela pandemia não deve afetar o setor de seguros, é preciso lembrar que a Rede Caixa foi mobilizada desde março para o atendimento do Auxílio Emergencial. E mesmo com o atendimento físico nas agências reduzido aos serviços essenciais, a Caixa Seguridade cresceu no semestre.

Em 2019, o Lucro Líquido recorrente foi de R$ 1,7 bilhão, crescimento de 19,5% em relação a 2018.

Em 2018, o Lucro Líquido recorrente foi de R$ 1,5 bilhão, crescimento de 13,8% em relação a 2017.

Em 2017, o Lucro Líquido recorrente foi de R$ 1,3 bilhão, crescimento de 19,2% em relação a 2016… e assim vai.

É ou não é um filezão?

Agora, por que raios a Caixa precisa fazer esse IPO?

Para Paulo Guedes entregar o que prometeu ao mercado. Entrega agora as subsidiárias, todas lucrativas, uma a uma. Depois, entrega a empresa-mãe.

Sim, porque ao perder a rentabilidade das subsidiárias (que estarão remunerando seus novos acionistas), a Caixa chegará ao ponto em que terá dificuldades.

Surgirá, então, o “remédio”: Caixa S.A.

E babaus pro papel social da Caixa. Com duras consequências para o povo brasileiro, bem como para seus empregados, que ficarão pendurados no pincel com o plano de saúde e, principalmente, com a FUNCEF.

#ForaBolsonaro #ForaGuedes #MexeuComaCaixaMexeuComoBrasil

*Diretora do SindBancários e empregada da Caixa

 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER