Indignados, bancários respondem com GREVE forte descaso dos bancos

A indignação dos bancários com a proposta apresentada no sábado, 19/9, pela Fenaban, de 7,35% para todas as verbas e 8% para os pisos, ficou evidente neste primeiro dia de greve da categoria. Somente em Porto Alegre e Região, funcionários de 356 agências aderiram ao movimento na terça, 30/9. Chegou a hora dos banqueiros fazerem uma proposta decente. Chega de conversa fiada e enrolação. Queremos proposta decente

Em todo o Rio Grande do Sul, a paralisação por tempo indeterminado também começou forte. Conforme dados da Fetrafi-RS, bancários de 767 locais de trabalho cruzaram os braços no Estado. O número de agências e locais de trabalho que paralisaram neste primeiro dia da GREVE nacional dos bancários, apenas na base do SindBancários (Porto Alegre outros 14 municípios da Região Metropolitana) é 41,3% superior ao número de agência que ficaram paralisadas no primeiro dia da paralisação do ano passado (252).

“A greve deste ano começou mais forte que a de 2013. Os bancários mostram que não aceitam mais enrolação por parte da Fenaban e que irão pressionar os bancos por uma proposta melhor. Agora, o momento é de ampliar o número de paralisações e pressionar por uma proposta decente”, afirma o presidente do SindBancários, Everton Gimenis.

Além de uma proposta melhor no que diz respeito às cláusulas econômicas, os bancários reivindicam a inclusão de mecanismos que auxiliem no combate ao assedio moral, melhorem a segurança e o ambiente de trabalho nos bancos. Desde 11 de agosto, quando o Comando Nacional dos Bancários entregou a pauta de reivindicações à Fenaban, houve oito rodadas de negociação. Na duas últimas rodadas, os banqueiros ofereceram proposta de reajust em 19/9 e 27/9. As duas foram rejeitadas.


Quarta, 1º/10, é dia de pressionar o Banrisul

Frente à intransigência da direção do Banrisul, que resolveu desmarcar as rodadas de negociação que aconteceriam nos dias 1º e 2 de outubro, os bancários realizam a manifestação Acorda Banrisul, nesta quarta, em frente à Direção Geral, a partir do meio-dia. Participe! Chegou a hora de os Banrisulenses aumentar a pressão sobre a diretoria. Acabou a paciência. Quermos proposta decente, o nosso Plano de Carreira, avanço na PLR e atendimento de cláusulas sociais, como combate ao assédio moral, mais investimento em segurança e o fim das metas abusivas.

Todos os dias, os bancários se reúnem entre a Caixa e o Banrisul, na Praça da Alfândega, a partir das 8h. Lá, acontecem a concentração do movimento e a saída dos piquetes móveis. Ao meio-dia, são promovidos shows. Nesta segunda, 30/9, a animação ficou por conta do músico Charles Busker.

Calendário de Luta

2º dia de GREVE – Quarta-feira, 1º/10

8h – Concentração dos Bancários – Praça da Alfândega entre o Banrisul e a Caixa.

Meio-dia – Ato Acorda, Banrisul e almoço coletivo dos grevistas: Vamos pressionar a diretoria do Banrisul, que cancelou a mesa de negociação sobre o Plano de Carreira, e ameaçou tirar direitos de colegas afastados por doença, a apresentar proposta decente.

Veja aqui imagens do primeiro dia de GREVE

CENTRAL DE GREVE

(51) 8191-9247 (adicione ao seu WhatsApp)

(51) 3433-1202

(51) 3433-1200

Informação confiável é com o SindBancários

https://www.facebook.com/SindBancarios.PoA

twitter: @sindbancarios

www.sindbancarios.org.br

Propostas dos bancários à Fenaban

> Reajuste salarial de 12,5%.

> PLR: três salários mais R$ 6.247.

> Piso: R$ 2.979,25 (equivalente ao salário mínimo do Dieese em valores de junho último).

> Vales alimentação, refeição, 13ª cesta e auxílio-creche/babá: R$ 724,00 ao mês para cada (salário mínimo nacional).

> Melhores condições de trabalho com o fim das metas abusivas e do assédio moral que adoecem os bancários.

> Emprego: fim das demissões, mais contratações, aumento da inclusão bancária, fim da rotatividade, combate às terceirizações diante dos riscos de aprovação do PL 4330 na Câmara Federal, do PLS 087 no Senado e do julgamento de Recurso Extraordinário com Repercussão Geral no STF. Além da aprovação da Convenção 158 da OIT, que proíbe as dispensas imotivadas. Veja aqui a Carta de Atibaia, manifesto dos bancários contra a terceirização aprovado pela Conferência.

> Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS): para todos os bancários;

> Auxílio-educação: pagamento para graduação e pós.

> Prevenção contra assaltos e sequestros. Cumprimento da Lei 7.102/83 que exige plano de segurança em agências e PABs, garantindo pelo menos dois vigilantes durante todo o horário de funcionamento dos bancos. Instalação de portas giratórias com detector de metais na entrada das áreas de autoatendimento das agências. Fim da guarda das chaves de cofres e agências por bancários.

> Igualdade de oportunidades para todos, pondo fim às discriminações nos salários e na ascensão profissional de mulheres, negros, gays, lésbicas, transexuais e pessoas com deficiência (PCDs).

Segunda proposta econômica da Fenaban em 27/9

Reajuste de 7,35% (0,94% de aumento real).

Piso portaria após 90 dias – 1.240,89 (8% ou 1,55% de aumento real).

Piso escritório após 90 dias – R$ 1.779,97 (1,55% acima da inflação).

Piso caixa/tesouraria após 90 dias – R$ 2.403,60 (salário mais gratificação mais outras verbas de caixa), significando 1,55% de aumento real).

PLR regra básica – 90% do salário mais R$ 1.818,51, limitado a R$ 9.755,42. Se o total ficar abaixo de 5% do lucro líquido, salta para 2,2 salários, com teto de R$ 21.461,91.

PLR parcela adicional – 2,2% do lucro líquido dividido linearmente para todos, limitado a R$ 3.637,02.

…………………………………………………………

Antecipação da PLR

Primeira parcela depositada até dez dias após assinatura da Convenção Coletiva e a segunda até 2 de março de 2015.

Regra básica – 54% do salário mais fixo de R$ 1.091,11, limitado a R$ 5.853,25 e ao teto de 12,8% do lucro líquido – o que ocorrer primeiro.

Parcela adicional – 2,2% do lucro líquido do primeiro semestre de 2014, limitado a R$ 1.818,51

………………………………………………………….

Auxílio-refeição – R$ 24,88.

Auxílio-cesta alimentação e 13ª cesta – R$ 426,60.

Auxílio-creche/babá (filhos até 71 meses) – R$ 355,02.

Auxílio-creche/babá (filhos até 83 meses) – R$ 303,70.

Gratificação de compensador de cheques – R$ 137,97.

Requalificação profissional – R$ 1.214,00.

Auxílio-funeral – R$ 814,57.

Indenização por morte ou incapacidade decorrente de assalto – R$ 121.468,95.

Ajuda deslocamento noturno – R$ 85,03.

Fonte: Imprensa/SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER