Indignados, bancários decidem em assembleia participar de paralisação nacional contra terceirização quarta, 15/4

Uma assembleia marcada pela participação de bancários e pela indignação decidiu por ampla maioria se integrar ao Dia Nacional de Paralisação contra o PL 4330, na noite desta terça-feira, 14/4, no Auditório da Casa dos Bancário. Com a decisão, os bancários passam a participar da agenda da Central Única dos Trabalhadores (CUT-RS) programada para esta quarta-feira, 15/4. A concentração dos bancários será na Praça da Alfândega, entre a Caixa e o Banrisul, no Centro de Porto Alegre, a partir das 7h.

A aprovação do PL 4330, o da terceirização, pela Câmara dos Deputados em sessão de 8/4, em Brasília, levou os bancários a se mobilizar. Trabalhadores de bancos privados e bancos públicos devem paralisar agências da área de abrangência do SindBancários, Porto Alegre e Região Metropolitana, com uma adesão ao protesto bastante significativa. O tom das manifestações na assembleia dos bancários refere que esta quarta-feira será o primeiro dia de uma série de ações de trabalhadores para pressionar o Congresso Nacional a abandonar de vez a pauta da terceirização

O presidente do SindBancários, Everton Gimenes, disse que a paralisação é o primeiro passo para a organização de uma greve geral contra o PL 4330 e que acompanhará os desdobramentos da tramitação deste projeto. “A aprovação do projeto da terceirização é o maior ataque aos direitos dos trabalhadores desde a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) em 1943. Não nos tiravam direito com um golpe nefasto como a votação na Câmara dos Deputados desde que houve conquistas consolidas há mais de seis décadas. Esse é o nosso primeiro passo. Perdemos a primeira batalha, mas com a nossa unidade, vamos reverter e continuar pressionando o Congresso Nacional até que eles percebam o erro que cometeram e abandonem de vez essa tentastiva de retirar direitos conquistados com muita luta”, disse Gimenis.

Depois da aprovação na sessão da semana passada, o projeto será enviado ao Senado, onde será votado. Se aprovado, o passo seguinte será pressionar para que a presidenta Dilma Rousseff vete a totalidade do texto. O último movimento será pressionar os senadores a manterem o veto da presidenta.

O presidente da CUT-RS, Claudir Nespolo, explicou durante a assembleia que é preciso que os trabalhadores que têm a marca da mobilização, como é o caso dos bancários, trabalhem para levar informação sobre a terceirização e os efeitos que terá na vida de todas as categorias. “Precisamos convencer e mostrar para a classe trabalhadora que a terceirização vai cancelar muitos direitos adquiridos com a nossa história de lutas. E os bancários têm um papel extraordinário a desempenhar nessa tarefa. Não acreditávamos que os deputados federais tivessem a coragem de aprovar o PL 4330”, disse.

Para o presidente da CUT-RS, a aprovação da terceirização e a reversão dessa tentativa de golpe nos trabalhadores só poderá ser derrota com a unidade e a luta dos trabalhadores de todas as categorias. “Esses deputados que aprovaram (324) o PL 4330 es6tão pagando a conta da campanha para os banqueiros, para os patrões. A conta não fecha. Uma empresa contrata outra para prestar um serviço, pagando o mesmo que pagava aos funcionários com carteira assinada. Por óbvio que, para ter lucro, esta empresa terceirizada vai ter que reduzir salário. Não podemos passar à história como a geração que precarizou o Brasil”, advertiu Claudir.

A diretora da Fetrafi-RS, Denise Falkenberg Corrêa, deu informes sobre outros sindicatos de bancários do Rio Grande do Sul que haviam feito assembleias na mesma noite que os bancários e que aprovaram a participação no Dia Nacional de Paralisação contra o PL 4330. “O quadro de paralisação no Interior do Estado é muito promissor. Vai ser uma grande paralisação. Desta vez, vamos traçar a nossa estratégia de luta e os nossos objetivos. Essa luta vai ser de médio e longo prazo. Os direitos dos trabalhadores são direitos humanos”, explicou Denise.

Calendário de mobilização

Quarta-feira, 15/4

7h: Concentração na Praça da Alfândega, em Porto Alegre, entre o Banrisul e a Caixa.

7h: Concentração em frente à Agência do Banco do Brasil na Rua Uruguai, Centro de Porto Alegre.

12h: Concentração em frente à sede da Fecomércio (Avenida Alberto Bins, 665, Centro Histórico de Porto Alegre).

13h: Início da caminhada até a Assembleia Legislativa.

Fonte: Imprensa SindBancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER