Governo Temer não renova sequer o Vale-Cultura para os trabalhadores

Criado em 2012, durante o governo Dilma Rousseff, o Vale-Cultura é mais um direito e um benefício retirado de grande parte da população brasileira pelo governo antipopular e ilegítimo de Michel Temer. Administrado pelo Ministério da Cultura, até o final do ano passado o VC destinava R$ 50 mensais aos trabalhadores e trabalhadoras, através de recursos governamentais que compensavam o custo das empresas. Ocorre que o prazo de vigência do Vale-Cultura, apesar da cobrança da Contraf-CUT e outras entidades sindicais, até hoje não foi renovado pelo desgoverno Temer.

Cobrado pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo e pela Contraf, o ministro da Cultura, Roberto Freire, garantiu no início deste ano de 2017 que “protocolou proposta de alteração do artigo 10 da Lei nº 12.761/12 e tem envidado todos os esforços para que o prazo do benefício fiscal seja prorrogado até o exercício 2021, ano calendário 2020”.

Bancos suspendem pagamento

No entanto, conforme resposta recente do próprio Ministério da Cultura, até hoje o pedido de prorrogação do benefício aguarda aprovação do Ministério da Fazenda. A secretária-geral do Sindicato dos Bancários de SP, Ivone Silva, denuncia: “Vários bancos já suspenderam o pagamento, diante da falta de renovação do programa de Vale-Cultura”.

“Sabendo-se do viés restritivo e antipopular do governo Temer, que botou o banqueiro Henrique Meirelles no Ministério da Fazenda, não chega a surpreender, infelizmente, o abandono de mais este benefício aos bancários e a todos os trabalhadores”, diz o presidente do SindBancários de Porto Alegre e Região.

“Nós do SindBancários, assim como a Contraf-CUT e outras entidades, vamos continuar pressionando para que o governo reveja sua posição e não deixe de colaborar com o aprimoramento cultural e de cidadania dos trabalhadores, que através do Vale-Cultura começaram a ter acesso mais facilitado a livros, discos, shows musicais, teatro, produtos e bens culturais em geral”, finaliza Everton Gimenis.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER