Futebol bancário está ameaçado

Bancários disputam jogos das categorias livre e master neste sábado, 23/11. Competições podem acabar se a MP 905 mantiver trabalho aos sábados e jornada de 8H

Enquanto os boleiros bancários folgavam por conta do Feriado da Proclamação da República, o governo Bolsonaro editava, na quarta-feira, 14/11, a Medida Provisória 905/2019, que acaba com a jornada de 6h da categoria, impõe as 8h e mais 4h de trabalho aos sábados, domingos e feriados. Por tabela, o demolidor de sonhos do Planalto Central pretende dar fim à prática de esporte e do merecido lazer do trabalhador bancário

A MP 905/2019, editada pelo Bolsonaro e pelo seu ministro da Economia, Paulo Guedes, já tem força de lei. E a gente sabe que ela quer acabar com a nossa jornada de 6H, passar para 8H e incluir o trabalho aos sábados. E se o bancário trabalhar aos sábados, o que pode acontecer?

Quem vai sofrer é o nosso querido futebol bancário. Já pensou o Sindicato pagar a arbitragem, comprar as taças e as medalhas, alugar a quadra, o campo de 11 ou o de sete e faltar o principal? E os bancários, justamente no sábado, estarão curtindo ose futebolzinho? Não, estarão trabalhando.

O presidente do SindBancários, Everton Gimenis, diz que a preocupação faz sentido. Não só porque a MP 905 tem força de lei, mas porque um banco privado já tentou abrir agências no sábado. Em maio deste ano, ação do SindBancários impediu que o banco Santander abrisse a agência Osvaldo Aranha em vários sábados consecutivos. E qual era justificativa? Educação financeira.

A gente sempre conversa com os bancários boleiros e diz que o futebol é uma forma de nos manter unidos para defender nossas conquistas. Claro que tem o jogo que eu gosto muito e até jogo no Bradesco na categoria Master. Mas temos também que parar e pensar que podemos perder ou ter muita dificuldade de manter os nossos campeonatos se não tivermos jogadores suficientes por causa do trabalho aos sábados”, explicou Gimenis.

Agora é a semifinal

Nesta atmosfera bolsonarista de ataque aos direitos e de povoar o país com desempregados, os boleiros bancários do Itaú, Santander, Bradesco Gravataí e Metropol da categoria livre, voltam à quadra pelas semifinais da Taça SindBancários de Futebol Sete 2019.

Na master, os confrontos entre os times do Santander, CEF, Banrisul e Itaú valem pela quinta e decisiva rodada da competição. Da mesma forma que é preciso reagir e enfrentar a política de extermínio do governo federal, as equipes terão que impor um futebol ofensivo no sentido de garantir as melhores colocações nas duas competições.

É hora, portanto, de participação, unidade na luta em defesa das conquistas trabalhistas e do drible, da gingada dentro da área e do chute letal para vencer o goleiro adversário. Na luta social e na comemoração chegou a hora dos ouvidos zunirem de alegria, pela manutenção dos direitos e pelo grito de gol. Na foto, momento do clássico Bradesco Gravataí x Bradesco FC. Confira, abaixo, os horários dos próximos jogos das duas competições, que acontecem sempre no Centro Esportivo Rodrigo Mendes, Rua Ary Tarragô, 2510, Alto Petrópolis, Zona Norte de Porto Alegre.

Sábado, 23/11

Jogos da semifinais livre

12h30: Itaú x Santander

13h30: Bradesco Gravataí x Metropol

Quinta rodada master

9h30: Santander x CEF

10h30: Banrisul x Itaú

Fonte: Moah Sousa

Crédito fotos: Jackson Zanini

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER