FGTS: Caixa tem novas medidas contra fraudes

Junto com PF, banco intensificou investigação sobre quadrilhas que usam dados pessoais de cidadãos para fraudar

A Caixa adotou novas medidas para conter as ações de fraudadores do saque emergencial do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço), e afirma que trabalha junto com a Polícia Federal na investigação das quadrilhas que usam informações pessoais de brasileiros para fraudar o aplicativo Caixa Tem. O recurso é usado para o depósito e a movimentação do benefício. Ao baixar o aplicativo para ter acesso ao pagamento do FGTS, muitos trabalhadores têm se deparado com a informação de que o CPF (Cadastro de Pessoa Física) já foi cadastrado e o saque, efetuado.

O saque emergencial do FGTS começou a ser liberado em junho, de acordo com a data de aniversário, como medida para o enfrentamento da crise provocada pela pandemia de coronavírus. O valor máximo de recebimento é de R$ 1.045 e tem previsão de beneficiar 60 milhões de trabalhadores, num total de R$ 37,8 bilhões.

Orientação às vítimas

Embora não divulgue o número de pessoas afetadas pela fraude, a Caixa orienta as vítimas de golpe a procurar uma agência para contestar o saque, portando documento de identificação e CPF. Caso o pedido seja negado, é possível solicitar reanálise na agência. O banco afirma também que implementou novos critérios de segurança, como validação digital de dados dos clientes e documental por imagem, monitoramento de cadastros e transações, além de intensificar atuação junto à PF na investigação das quadrilhas.

Outra recomendação é que os trabalhadores utilizem apenas os canais oficiais do banco para obter informações sobre FGTS Emergencial e o auxílio emergencial.

Principais cuidados 

• Não forneça senhas ou outros dados de acesso em outros sites ou aplicativos.
• O cliente deve estar sempre atento a qualquer atividade e situação não usual, e principalmente não clicar em links recebidos por SMS, WhatsApp ou redes sociais para acesso a contas e valores a receber.
• Desconfiar de informações sensacionalistas e de “oportunidades imperdíveis”.
• Links suspeitos podem levar à instalação de programas espiões, que podem ficar ocultos no celular ou computador, coletando informações de navegação e dados do usuário.
• Utilizar sempre navegadores e softwares de antivírus atualizados.
• A Caixa jamais pede senha e assinatura eletrônica numa mesma página, sendo a assinatura digitada somente por meio da imagem do teclado virtual.
• A Caixa não envia SMS com link e só envia e-mails se o cliente autorizar.

Fonte: Site R 7, Caixa Econômica Federal, com Edição de Imprensa SindBancários. Foto: Arquivo/Imprensa SindBancários.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER