Fenaban quer deixar bancários abaixo de zero

Negociação segue no final de semana e na terça-feira, 25/8, a categoria realiza assembleias para decidir a mobilização

Os representantes da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) apresentaram ao Comando Nacional dos Bancários, na sexta-feira, 21/8, a proposta de reajuste salarial zero, sem aumento real e sem correção da inflação.

Neste frio que a gente enfrenta aqui no RS, falar em reajuste zero é pensar que, até o fim da validade do próximo acordo coletivo, acumularemos perdas que podem levar nosso reajuste para um percentual negativo. Não podemos aceitar ficar na rua e abaixo de zero.

Haverá mais uma rodada de negociação neste final de semana e, devido às propostas de retirada de direito a categoria, inicia neste sábado um calendário de mobilizações que vai até terça-feira, 25/8, com a realização de assembleias pelos sindicatos.

Não está descartada a possibilidade de uma greve.

Na nona rodada de negociação, os bancos finalmente deram sua resposta às reivindicações [email protected] bancá[email protected]: zero de reajusta real e nenhuma correção das perdas da inflação, o que impõe uma perda de 2,65% nos salários.

“É completamente inaceitável essa proposta. Quase 70% das categorias esse ano fecharam acordos que tiveram aumento real ou reposição da inflação. Estamos falando do setor que mais lucra no país e que não quer dar aumento, além de não garantir os empregos. Querem retirar direitos, como a redução de até 48% da PLR, diminuir a gratificação de função e acabar com a 13ª cesta de alimentos”, criticou a presidenta da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), Juvandia Moreira, uma das coordenadoras do Comando Nacional.

Os bancários rejeitaram a nova proposta da Fenaban de reajuste zero, mas vão voltar à mesa de negociação com os representantes dos bancos neste sábado, 22/8, às 11h. A expectativa é que a Fenaban retorne à negociação com propostas diferentes.

“Os bancos precisam modificar suas propostas porque as negociações esta semana foram por um caminho muito ruim, porque não dão alternativas para a categoria”, afirmou Juvandia. A possibilidade de uma greve na categoria não foi descartada entre os integrantes do Comando Nacional caso os bancos insistam na retirada de direitos e no reajuste salarial zero.

Assembleias

As negociações avançaram para o final de semana para que @s bancá[email protected] tenham uma resposta melhor da Fenaban para as assembleias marcadas para terça-feira, 25/8. “Nossa expectativa é receber uma boa proposta, não como nos últimos dias. Os bancários não vão fechar acordo com retirada de direitos”, afirmou a presidenta da Contraf-CUT.

A partir deste sábado, 22/8, começam a acontecer atos e outras atividades da categoria contra a intransigência da Fenaban em atender às reivindicações de aumento real e da PLR, regulamentação do teletrabalho e a manutenção dos direitos já conquistados ao logo de anos de negociações entre as duas partes. Por exemplo, estão marcadas carreatas de bancá[email protected] em Brasília e Belém.

Atos e manifestação acontecem até terça-feira em outras capitais e cidades do país. Outra ação que vai ser realizada nos próximos dias é a dos tuitaços, direcionando pela rede social o protesto da categoria para os bancos.

Fonte: Contraf-CUT, com edição de Imprensa Sindbancários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FACEBOOK

SERVIÇOS

CHARGES

VÍDEOS

O BANCÁRIO

TWITTER